Posts Populares

Postado Por: Janaína Pupo 2 de mai de 2011


Olá meu povo querido.

O assunto de hoje é complicado e como um leitor pediu para que eu falasse sobre o “problema” dele aqui no blog, estou atendendo o seu pedido. Provavelmente, algumas pessoas irão se perguntar: “Como pode alguém gostar disto?”.

Renato, o leitor que me pediu ajuda, relata o seguinte:

“Quando comecei a namorar Rosana ela me disse que tinha uma vontade diferente. Demorou alguns meses para que ela me contasse sobre a tal vontade, até que um dia, durante uma transa, ela sussurrou no meu ouvido que gostava de levar uns tapas. Achei normal, afinal, muitas mulheres gostam de uns tapinhas na hora H. Faz 2 ano que estamos juntos e noivamos, só que de um tempo pra cá, tenho ficado assustado com a nossa relação. Rosana não está mais aceitando tapinhas enquanto transamos, ela quer tapas fortes, bofetadas mesmo. E o que mais me apavora é que a agressão não está mais a satisfazendo só na cama, por exemplo, chego na casa dela e ela pede para que eu lhe surre enquanto ela está cozinhando ou quando estamos vendo um filme. Dias destes ela estava lavando a louça e me chamou, pedindo para que eu desse um belo tapa em seu rosto. Perguntei se ela estava louca e ela começou a me xingar de tudo quanto era nome, eu respirei fundo, ela continuou me desafiando e disse que eu ia ser corno, pois ela ia encontrar um cara pra satisfazer a sua vontade. Perdi a cabeça e lasquei um tapa na cara dela e ela, sorrindo, pediu para que eu batesse mais forte. Neguei e então ela respondeu que eu não prestava nem pra bater, que nem parecia um homem de verdade e sem pensar duas vezes, estalei a palma da minha mão no seu rosto. Ela caiu no chão e se contorcia, parecia estar louca de prazer e continuava pedindo para que eu a surrasse. Virei as costas e fui embora, indignado e estou apavorado. A amo demais, mas sempre fui contra relar o dedo em qualquer mulher, detesto agressão, isso me broxa e a mulher que eu quero para ser minha esposa só sente prazer se for apanhando. Depois deste dia tivemos uma séria conversa, questionei sobre a sua infância, se ela foi vítima de agressão ou se o pai batia em sua mãe, e ela disse que a infância dela foi de princesa e que sua família é mais perfeita que existe. Ela assumiu que gosta de ser espancada, que isto lhe excita demais e que quer as minhas marcas no seu corpo, que só assim ela será feliz comigo. Não quero perde-la, mas não consigo continuar com essa pancadaria. Homem que bate em mulher é covarde e prometi que não vou mais agredi-la nem com tapinhas. O que eu faço, Jana?”

Aiiii, como diria a minha avó, “meu bom Jesus de Iguape”!
Queria eu ser a Santa Jana agora pra ter alguma solução instantânea e te ajudar Renato.

Darei a minha opinião, se eu falar bobagens, sinto muito, a intenção não era essa.
Acredito que muitas mulheres gostam de ser pegas de jeito, levar uns tapinhas (na bunda, não no rosto) durante a transa, mas nada de querer bancar o Ryu ou o Ken (Street Fighter) e nos encher de tapão, socos e pontapés.

Eu acho excitante receber umas palmadinhas, levar uns puxões de cabelos, umas mordidinhas de leve e até mesmo uma boa chupada no pescoço ou em algum lugar “estratégico”.
Dia desses uma amiga apareceu com um chupão na bochecha e tive crise de riso. Ou o cara era muito possessivo e queria mostrar pra todos que aquela mulher da bochecha chupada tem dono ou ele estava tão louco de tesão que deu uma de peixe cascudo (aquele que gruda no vidro do aquário) e chupou o primeiro lugar que viu pela frente ou confundiu os seios dela com as maças das bochechas.
Enfim, palmadas, puxões de cabelos, mordidinhas, chupões... com moderação e com carinho, pode duplicar (até triplicar) o tesão.

Mas voltando ao caso do meu querido leitor...
Renato, li e reli teu e-mail e a princípio, julguei sua noiva doida de pedra. Depois achei que o maluco é você por continuar numa enrascada desta, mas então, parei para analisar melhor e me colocando no teu lugar, imagino o quanto deve ser foda isso tudo, afinal, estamos falando da mulher que você ama e sinceramente, talvez você me odeie depois de ler este post, mas não deixarei de falar o que penso. É a minha vez de te dar chibatadas com a minha língua afiada.

Um dia eu estava passando por determinado lugar com um amigo e vi uma mulher sendo espancada por um homem. Fiquei indignada, meu amigo parou o carro e gritou: “Ei seu merda, solta a moça!” e para a nossa surpresa, a mulher toda descabelada, com a blusa rasgada e quase cuspindo os dentes (cuspir os dentes foi exagero) resmungou: “Merda é você. Não se mete, ele é meu marido e sabe o que faz!”.

Juro que minha vontade naquele momento foi de descer do carro e ajudar o marido a continuar com a surra na dona doida.
Aaapaputaquepariu! Por causa de mulher desse tipo, muitos homens se acham no direito de sair distribuindo bofetadas – foi o que pensei.

Só que veja bem... naquele caso, pensando friamente, aquele casal devia ser feliz, pois ele parecia gostar de bater e ela, de apanhar. Eram almas gêmeas.

Renato, no seu caso, você e a Rosana não são almas gêmeas, porque você não gosta de agressão, violência e ela necessita disto para ser feliz.
Se você fizer a vontade dela, ficará frustrado e broxado e ela feliz. Se você não fizer, ela que ficará insatisfeita e infeliz. Ou seja, os dois nunca estarão em sintonia e a tal felicidade (do casal *mimimi) vai para o beleléu.

Pra todo masoquista existe um sádico e pelo o que tudo indica, de sádico você não tem nada, Renato (ok, não sei se a Rosana é masoquista, só estou dando o meu pitaco).

Euzinha, no teu lugar, mesmo amando a pessoa, não iria adiante nesta relação. Terminei um namoro porque o “féladaputa” me deu um tapinha na cara durante uma discussão. Pensa numa briga de gatos. Pensou? Pois bem, ele deu o tapa e eu fui igual um tsumani pra cima dele, com unhas e dentes, quase banquei o Mike Tyson mordendo a orelha do bofe. Ele não reagiu, só apanhou e depois veio pedir perdão. Enfia o perdão no toba!

Sabemos quando estamos num barco furado, mas se você acha que deve insistir, vá em frente, só que o risco de você nadar pra cacete e morrer na praia é enorme (por você não curtir bater na sua amada).

Todos que já leram os meus textos, sabem que eu sou a favor de fazer o que dá prazer, mas desde que ambos (o casal) sintam prazer. Isso de fazer algo só para agradar o love, está fora de cogitação para mim.
Claro que, se a garota me vier dizer que morre de nojo de fazer sexo oral, sem nunca ter chupado um pau, eu vou é mandá-la cair de boca, porque a danada gosta de ter a língua do bofe na sua “perseguida” e na hora dela lamber o pirulito vem falar de nojinho? Sua bocó, não sabe o que é bom!

Mas coisas mais “delicadas” e não tão “casuais” acho que só pode rolar se o casal tiver o mesmo gosto e tesão naquilo.

Sou contra a violência, detesto agressão, mas meu povo, se a pessoa se molha toda, se derrete e morre de prazer apanhando, fazer o que? Vou chamá-la de doente? Não!
Uns gostam dos olhos, outros da remela e se o cidadão é feliz levando uns tabefes, só lhe resta arrumar uma alma gêmea que se sinta feliz batendo.

Acho que é preciso tomar cuidado para a situação não perder o controle.
O casal começa com tapas, depois passa pra socos, chutes, pontapés, voadoras e daqui a pouco estão com munição no quarto e aí só resta o velório (cruzes).

Sou a favor do homem só bater punheta e a mulher siririca, mas gosto é igual cu, cada um tem o seu!

E vocês, o que pensam sobre isso?

*

Beijos e boa semana, minha gente.
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)


{ 35 comentários... read them below or Comentario }

  1. Nossa, Jana!Vocé é fodástica como blogueira. Amei as concessões às frses facéis e aos esteriótipos linguísticos para expor um jeito novo de argumentar ideias. Já sei que quando tiver problemas recorrerei a você... rsrsr
    Abraço fraterno,
    Jasanf.

    ResponderExcluir
  2. Olá Jana, me desculpe, mas vou discordar da sua opinião nesse caso.
    Concordo que temos q fazer o q nos dá prazer, mas se gostamos de quem está com a gente e esta pessoa está apresentando um comportamento "estranho" tem q ver issaí!
    O meu conselho pro Renato seria ir junto com sua namorada se consultar com um psicólogo de preferência um especialista em comportamentos sexuais exóticos.
    E assim, quem sabe não conseguem chegar num consenso e viverem felizes?

    bjs

    @LuMetal

    ResponderExcluir
  3. Lu, minha querida, não precisa se desculpar, né? Acho super bacana a pessoa expor sua forma de pensar. Mas talvez eu tenha errado por não ter mencionado que o Renato queria ir a um analista com sua amada, mas ela não aceita.
    Para certas coisas, infelizmente, não há combinações. Mas vamos torcer para que este casal se resolva da melhor maneira, o que não acho certo é um deles viver infeliz e frustrado.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Fernando Freitas2 de maio de 2011 16:29

    Puuts! Tenso, hein!
    Eu entendo o Renato e concordo com você: é legal dar uns tapinhas, coisa leve, mas surrar a pessoa é mais complicado!
    Eu não me sentiria confortável pra dar tapão no rosto, soco na costela, cotovelada no olho.
    E o pior nessa história é que a menina humilhou o cara! Onde já se viu!!! Dizer que vai botar chifre, que o cara é frouxo!!! Vá se fudê!
    Não custava nada ela baixar a bola e perceber que o cara também tem um limite. Tudo em excesso é prejudicial.

    ResponderExcluir
  5. melhor respeitar do que julgar o gosto alheio.
    No http://cadinhoroco.blogspot.com fotos dos painéis, óleo sobre tela, em oferta. Presenteie com arte.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  6. Aí sim! Se a moça não percebe que pode ter um problema e nem aceita ir ver qualé q é não tem jeito mesmo.
    E aqui concordamos em tudo pq o o Mais importante na vida é ser feliz!!
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Minha gente, eu não acredito que no ´seculo XXI, com a internet sendo acessível pra todo mundo, ainda tenha gente que acha isso coisa pra ser tratado por psiquiatra, GENTE ACORDA PRA VIDA!
    Me desculpem de verdade, mas chamar toda uma cultura BDSM de "coisa a ser tratada por médicos psiquiatras" é coisa do século XVIII, pelamorde! CLARO que o cara está com um problema em mãos porque ele não sente prazer com isso, como a amada dele sente. Blz, tudo bem pq ninguem é perfeito. Agora eu acho que quem está meio equivocado nessa história toda é ela, de certa forma, em não sentar e conversar e negociar isso com ele, afinal ao que parece, é como se ela tivesse praticamente obrigando o cara a ceder a isso. Como a Jana disse, gosto é igual a cu, cada um com o seu, mas vamos ser realistas né?

    ResponderExcluir
  8. Ah, falei em cultura BDSM sem mencionar que a Rosana pode até nem conhecer, e nem to dizendo que eu sou adepta disso, até pq eu sou daquelas que acham que vale tudo, DESDE QUE OS DOIS CONCORDEM E SEJAM FELIZES, GOZEM MUITO, SE COMAM MUITO, e por ai vai. Só acho que isso é um assunto muito delicado pra pessoa sair dizendo com todas as letras: VAI PROCURAR UM ANALISTA, SUA LOUCA! não concordo. Desculpem, mas peguei ar mesmo pq tenho conhecido muitos blogueiros que são adeptos do tapinha, e são pessoas maravilhosas.

    Beeeeijos Jana.

    ResponderExcluir
  9. Ahh,Jana!
    eu também pularia fora do barco no primeiro ato,se a questão fosse comigo,e se ele fosse o masoquista (porque também tem homens assim) eu nem pensaria duas vezes,um dois ou três tapinhas é aceitável,mas chegar a esse ponto,é morte súbita se ambos ceder a esse desejo! eu ein?hahaha
    Ótimo post,como sempre!
    Um beijão pra ti,Queridona!!

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Quer apanhar bate mas com documento assinado e registrado por ela,pra não vir com a MARIA DA PENHA DEPOIS....

    valei-me...

    ResponderExcluir
  12. Ah que saudade que eu sinto daqui também, minha Pupo!!
    Meu tempo está tão curto que tô em falta nas visitas dos blogs que eu amooo ler, e um deles é o seu. Sempre com otimos assuntos e com o tok super descontráido que vc dá!

    Bjau, flor!

    ResponderExcluir
  13. Bela e super maravilhosa Jana,

    acho que seu post toca num assunto muito delicado. É que sado-masoquismo não pode, nem deve ser confundido com AGRESSÃO. São duas coisas absolutamente distintas.
    Como você, também sou mais chegada em arrepios e carinhos suaves (sem abrir mão é claro de uma pegada mais forte vez em sempre, por que não?!!!), mas RESPEITO PROFUNDAMENTE quem pratica o BDSM com segurança e ética.

    Penso que não é caso para psiquiatra. O tal noivo deve fazer uma autoanálise do tipo: serei capaz de proporcionar PRAZER a minha noivinha amada sem ferir os meus princípios e desejo? Só ele poderá encontrar essa resposta. Mas de forma alguma vejo a noivinha em questão como pervertida ou louca. Ela sente prazer assim e só nos resta respeitar.

    Torço para que o casal encontre um ponto de equilíbrio e que seja bem próximo ao ponto G, of course.

    SUPER BEIJO, Minha Jana!!! Você como sempre arrasa nos posts!

    ResponderExcluir
  14. Loba, minha amiga linda e querida.
    Concordo com você, sado-masoquismo não pode ser confundido com agressão, por isso, nem sei descrever qual o perfil da noiva do Renato, pois o próprio disse que ela força a barra, o ofende para ver se assim, ele perde a cabeça e parte pra cima dela.
    Aqui no blog eu nunca toquei no assunto BDSM porque tenho pouco conhecimento e não vou bancar a sabe tudo e de repente falar qualquer merda. Respeito quem pratica o BDSM e até pensei em algum dia convidar alguém que conheça sobre para poder falar aqui.

    Acho que no caso do Renato está faltando sintonia entre eles. Ela gosta de uma coisa e ele não. Mas enfim, quem sabe conversando os dois se entendam, não é?

    Beijos minha linda, adoro-te!

    ResponderExcluir
  15. Eitcha caso complexo esse: gostos não se discute certo: mas tem cada louco por aí afora que assusta a nossa ousadia!

    Explicando o caso FETICHES E FANTASIAS: este foi removido do ar pelo o GOOGLE, o meu está incluindo entre o arrastão de blogger que foram removidos no fim do mês de Abril. O RITUAL é um outro blogger que já existia em parceria com FETICHES E FANTASIA.
    Seja bem vinda a CASA, o "fetiches e fantasias" era a minha alcôva era o meu cantinho devasso. hihihihi*

    DARK - LADY

    ResponderExcluir
  16. Poxa JANA, acho que o amor passa por cima , disso, afinal els podem ser feliz , fazendo um esforço maior né ?

    ResponderExcluir
  17. Neguinha querida, eu não sumi, apenas to por ai..voando...com uma das asas quebradas, mais tudo bem... Me add. no MSN pra gente fofocar sobre a vida alheia....kkkk

    MSN: a.riffgoulart@hotmail.com
    Face: Andréia Riff
    Email: ariff@dorio.com.br ou ariff@oi.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Jana... Rainha, é o seguinte: Que bom que há esse espaço em que podemos interagir e com sua liderança, procurar uma maneira de resolver situações que nos parecem meio complicadas de resolver... No caso desse rapaz e sua noiva maníaca de pancada, sinceramente, ele tem que tentar convencê-la a fazer um tratamento, uma coisa é você gostar de um tapinha, uma puxadinha de cabelo (Ui, adoro) uma pegada de jeito mas dessa forma é meio maso não? O que é legal na relação, é quando ambos sentem prazer com algo, e no caso desse casal, o cara não tá nada satisfeito... Complicado...
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  19. Eita... como disseram mais acima, acho que esse cara tem que tomar é cuidado com a Lei Maria da Penha... o dia que os tabefes não forem suficientes, a mulher, doida da vida, ainda vai denunciá-lo.

    Fantasias são fundamentais, mas essa história de sexo (ou pancadaria) sem limites não é legal (do ponto de vista jurídico) nem saudável.

    Sou daqueles que pensa que o cara DEVE realizar a fantasia de sua amada, por mais estranha e inusitada que seja. Entretanto, quando a fantasia é prejudicial, agride a saúde, a integridade física ou a lei, não deve ser realizada, deve ser tratada.

    Enfim, no lugar dele eu tentaria convencê-la a se tratar, daria todo o apoio necessário. Se ela recusasse, apresentaria um lutador de MMA pra ela e tiraria meu time de campo.

    ResponderExcluir
  20. Como te disse no último "livro", perdi um bofe pq ele dizia q qnt mais gostava da mina, mais tinha vontade de espancá-la... Gosto de uns tapas, puxões de cabelo e mordida nervosa, mas a esse ponto, pra mim é coisa de doido e tem que se tratar... depois perde dente e cai na banalizada lei Maria da Penha...
    Cuidado! Além de infeliz, o cara pode ser preso!

    Bjssss

    ResponderExcluir
  21. KKKKKKKKKKK nunca sorri tanto
    que ilário velho
    coitado do Renato :P

    ResponderExcluir
  22. Guria eu acho que tem louco pra tudo,e não dá pra se meter!!O importante é ser feliz !!kkk
    bjs lindona

    ResponderExcluir
  23. Oi, Janaína! [sorrio] Fazer o quê? [sorrio novamente]
    O seu espírito transborda nessa pagina.
    Obrigado por sua atenção em meu blog! Estou perplexo ao perceber que locadora é coisa praticamente só daqui de minha cidade. Incrível isso!
    Ainda não lhe encontrei em meu twitter. Tem certeza que não ‘extraviou’? [sorrio] Sei lá, é que Ituverava é tão... tem até locadora... Abraço!

    Seu blog virou livro? Me conte sobre isso. Abraço! Parabéns!

    ResponderExcluir
  24. Como diriam aqui... Que causo.
    Eu sumiria imediatamente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Jana! Haja fôlego pra chegar ao fim de seus posts, fico tão ansiosa, mas não consigo pular uma só linha...afff no caso em questão, euzinha aqui, sou contra qualquer tipo de 'tapinhas', acredito que mulher que gosta de apanhar na cama acaba indo parar numa delegacia tão logo...

    Mas, enfim, cada um é cada um né!

    'Vida, morte, tudo se arremata quando a vítima não não se acode!!!' (criei esta frase especialmente p sua postagem de hj... pode usar... afff kkkkkkkkkkkk

    bjs, e grata por seu carinho,

    Catita

    ResponderExcluir
  26. Concordo com o comentario da Lou Albergaria totalmente .

    Mas acho que o Renato não é a pessoa certa pra ela não , ela teria que procurar um Dominador BDSM pra satisfaze la .

    ResponderExcluir
  27. Mulher tem que pegar e da surra mesmo.Essa gata ae é minha alma gemia queria conhecer ela pessualmente.Pegar nos cabelos dela e dar tanto tapa na sua cara até ela dismaiar.To até ezitado.

    ResponderExcluir
  28. Tba acho... nada contra quem é adepto do BDSM, mas tanto quem bate quanto quem apanha tem que gostar disso... eu acho que eles deviam fazer análise, mas não pra tentar "curar a doença" da moça, mas para buscar se acertar como casal, ou partir pra outra... pois eu tb acho, igual à Pin-up Gordinha, que essa moça daria bem mais certo com um dominador.
    Não sou adepta do BDSM, mas me lembro certa vez de ter lido um blog (não lembro o nome, sorry!) no qual uma moça narrava seu dia-a-dia como escrava sexual (consentida, claro!). Ela disse que um dominador reconhece sua escrava ideal só de olhar p/ ela. E nesse caso, não adianta mesmo, o Renato não está nem um pouco confortável no papel forçado de dominador.
    Acho que tanto ele quanto ela devem partir p/ outra, porque logo logo não haverá amor que sobreviva a uma situação dessas.

    ResponderExcluir
  29. Jana vc é catastróficamente, absurdamente espetacular.. sempre admiro a forma da qual vc elabora as questões e trata tudo, absolutamente tudo.. de um papai-mamãe até um sexo no lustre com a coisa mais natural do mundo, sem tabus, com uma pitada de humor! sem palavras.. curto mto suas ideias e a forma da qual escreve..parabéns!

    obrigada por ser a pessoa q vc é comigo. Amiga. Obrigada mesmo.. por ler meus emails..fazer essa terapia online, eu confio em vc, como nem confio em pessoas que convivem comigo. Me sinto segura ao te contar as coisas..

    Quanto aos tapas, acho que tapa de amor não dói.. só que, ambas as partes tem que aceitar..

    Um beijo e tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  30. Eu concordo plenamente com o seu pitaco, porém vou dar o meu.
    Acho muito dificil ela ter tido uma vida de princesa e vir de uma família exemplar.
    Tem algum histórico psicológico sim...sempre tem.
    As vezes ela nem sabe, mas uma hora vem a tona.
    Parabéns pelo texto lindona.
    Beijossss

    ResponderExcluir
  31. Menina, amei seu blog!
    O jeito como você escreve, as suas ideias, tudo!

    Adorei mesmo, já li alguns textos e me diverti muito lendo e rindo sozinha aqui dhasuhdio
    Beijão

    ResponderExcluir
  32. Jana, é o seguinte, graças a essa cor de cabelo, minha cria de 10anos é sua fã.. já te falei isso antes, mas, ela fez um poeminha p um trabalho de escola e eu postei no meu blog (coisas de mãe coruja) porém, a unica ansiedade dela é receber 2 comentários... do Jasanf e o seu... afff né! sei que tens muito o que fazer, mas se puder, passa lá por favor! Esta nesta semana e se chama Minha maior obra de arte. Bj

    ResponderExcluir
  33. meu, quando leio estas coisas percebo o quanto sou careta.............. e me senti mais careta ainda quando a outra ali em cima disse que cair no chao esperneando querendo uns tapas nao é coisa de psiquiatra...que absurdo pedir um psiquiatra para um troço destes....rsrsr

    Ah, acho louco estes troços..... e sinceramente como acho anormal estas coisas me mantenho longe de quem acha normal.... ou seja minha capacidade de amar alguem está ligada diretamente ao prazer cheio de amor e carinho que esta pessoa me dá.

    SEndo assim é obvio que ele está com a pessoa errada e ainda bem que ele percebeu isto antes de constituir familia com a moça.

    ResponderExcluir
  34. Meu Deus!! kkkkkkkkk
    Como assim Bial?
    Gostar de apanhar é uma coisa,ser espancada é outra totalmente diferente. Vai entnder né
    (mas eu ri muiiiito aki)

    Jana.vc ta de parabéns,de sua nova fã!
    Bjs

    ResponderExcluir

- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot