Posts Populares

Custa ser limpinha (o)? Falo mesmo!

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Hoje literalmente este espaço é meu. Digo isto porque vou falar um pouco sobre mim e depois digo por que resolvi fazer isto.

É o seguinte... confesso à vocês que eu tenho uma mania braba, que é a tal mania de limpeza. Adoro meu quarto arrumadinho, adoro a cozinha bem limpa sem louças na pia (detesto louça suja), adoro a casa toda com aquele cheirinho de limpeza, afinal, não moro em um chiqueiro, oras. Adoro cozinhar e sou super sistemática, tudo o que vou sujando de utensílios vou lavando em seguida pra não deixar a pia lotada, parecendo que passou um furacão por ali. Calma, na casa dos outros eu sou "normalzinha", ok? Não fico reparando se a pessoa é relaxada, cada um tem seu jeito de ser. Mas tipo, se você for muito porquitcha (o) não precisa nem se preocupar em fazer um café porque vou recusar, ráh!
Uma vez minha mãe foi na casa de uma amiga e a tal amiga fez um chá. A mulher estava no telefone e minha mãe resolveu ir até a pia levar a xícara. Adivinha o que tinha dentro da pia, num prato cheio de restos de comida? A dentadura da mulher!
Meooo, se fosse eu colocaria as tripas pra fora de tanto vomitar. Dentadura na pia? É de lascar!

Voltando a falar de minha pessoinha, tenho também excesso de cuidado com a minha higiene pessoal.

Quando eu era criança, minha mãe fazia terrorismo comigo caso eu fizesse charme na hora do banho. Ela dizia que se eu não tomasse banho ia ficar com cheiro de rabujo (que horror, traumatizou) e por causa disso, hoje eu detesto essa palavra e morro de medo de ficar com cheiro vencido, cruzes!
Gente, fala sério... rabujo é um termo medonho, vai?

Adoro tomar banho e além de passar muuuuito sabonete no corpo e ter todo um ritual no chuveiro, depois que me enxugo volto a ficar molhada de creme.
No meu armário tem creme para os cabelos, creme para o rosto, creme para o corpo, creme para as mãos, para os pés, creme para remover maquiagem, parece até uma mini lojinha de cosméticos, sou exagerada mesmo!

Quem me conhece sabe bem das minhas manias. Meus amigos e familiares adoram tirar sarro da minha cara por causa de uma palavra que eu ABOMINO e da minha boca essa palavra não sai por nada no mundo. Me recuso a falar, já até tentei, mas engasgo, fico gaga, sinto nojo e não adianta, a bicha fica presa. E quando alguém fala a palavrinha perto de mim, faço uma cara de dor que ninguém entende. Ééé, cara de dor porque dói no meu âmago.

E agora não sei como explicar pra vocês que palavra é essa, vou tentar ok?

Tem a ver com cheiro, odor. Quando preciso usar a dita cuja (a palavra), eu digo: mau cheiro, cheiro ruim, cheiro estragado, cheiro vencido, cheiro passado, cheiro horroroso.

Sacaram qual palavra é? Vou dar uma dica... começa com F (aiiiiiiiiii credo!) e não é futum. Começa com F e termina com R. Não tenho coragem de pronunciar nenhuma palavra da família do FR (to até com medo de pipocar essa palavra aqui nos comentários... se eu sumir é porque entrei em coma, overdose de ler FR).

Voltando a falar de higiene, também tem quem me chama de louca por eu ter outro hábito e prefiro morrer louca do que mudar.

Dia desses, minha irmã chegou rindo e falou que viu um vídeo e se lembrou de mim. Já já compartilho o vídeo com vocês. No vídeo, um pastor fala sobre higiene e ele pergunta:

"- Se você pisa na bosta e suja o pé, o que você faz? Limpa? Ah, você lava com água e sabão. Você está mexendo no jardim e de repente você coloca a mão numa coisa mole, é merda, bosta de gente, o que você faz? Você lava, passa sabonete, esfrega bem as mãos e ainda dá uma cheiradinha. Se você suja o joelho de bosta, você faria a mesma coisa? Sim.

Então por que o pé você lava, o joelho você lava, a mão você lava e o cu você limpa?

TEM RAIVA DO CU?
NÃO GOSTA DO CU?


Meus amigos, a mão é lisa, o pé é liso, o joelho é liso o cu é enrugado! Limpar não adianta, tem que lavar! Por isso que uma das coisas mais difíceis de acabar é caatinga de cu, porque limpar não adianta!"

Pois é, eu ri muito, mas com a consciência tranquila, porque eu limpo e em seguida lavo o furico toda vez que faço o “número dois”. E não tem isso de estar frio ou de estar num lugar que não tem chuveiro. Eu não consigo “obrar” em banheiros alheios, mas se acontecer, bora usar papel higiênico molhado com sabonete e por último um lencinho umedecido (é só carregar na bolsa).

Sou neura? Foda-se! Cuido bem mesmo do meu cu, afinal, só tenho um e o bichinho é meu amigo, oras!

Poxa, hoje eu abri meu coração, heim? Falei até do meu cu (moral pra que?).

Mas gente, porque estou falando sobre higiene (de novo)?

É que recebi um e-mail e patacaparéu, me cu (limpo) quase caiu da bunda, vejam só:

“Oi Jana, beleza? Não vou falar meu nome real, pode me chamar de Lili e espero que você me ajude. Meu namorado nunca gostou de fazer sexo oral em mim, eu faço nele e quando peço para que ele retribua, ele nega. Na ultima vez que transamos, estávamos um pouco bêbados e eu insisti para que ele me chupasse e ele falou nervoso que nunca ia colocar a boca na minha vagina porque tenho corrimento e fede. Sei que tenho corrimento e tem um fedor forte, mas antes de transar eu sempre tomo banho e o cheiro some. Não vou ao ginecologista porque tenho medo e vergonha de ficar com as pernas abertas para um desconhecido, passo umas pomadas de vez em quando que minhas amigas indicam e o corrimento diminui e fica menos fedido. Como posso convencer meu namorado a fazer sexo oral em mim? Acha que se eu deixar de fazer nele pode dar resultado? Desse jeito ele vai acabar me perdendo porque adoro receber sexo oral e sinto falta”.

Pessoal, ela usou a palavra que eu abomino e deixei em negrito aí acima. Estou até com tontura, pois ela usou mais de uma vez. SOCORRO!

Minha filha, eu ainda não creio que você me escreveu pedindo ajuda para convencer teu bofe a colocar a boca na sua perseguida com recheio de ricota.

Pelo amor de todos os deuses, coitado deste homem! Ele já é bastante guerreiro por ter coragem de colocar o pau na sua “queijaria” e espero que ele faça isto com camisinha.

Mulher, que pinga você bebeu pra achar que o homem tem que topar chupar uma xereca “a la parmesão”? Acorda pra vida!
E pelo visto você não está nem aí para a sua saúde, não é?

É desagradável ficar com as pernas escancaradas para um ginecologista, mesmo sendo uma médica? Sim, mas é NECESSÁRIO!

O corrimento vaginal (até o nome é feio) pode ter várias causas e na maioria dos casos, pode ser evitado e facilmente tratado. É uma inflamação dos tecidos vaginais que começam a produzir secreção anormal (iéca), com sintomas como o surgimento de muco, odores, dor, prurido e coceira. O exame clínico e a prevenção são as melhores armar para combatê-lo.

Os corrimentos podem ser causados por:
Infecções vaginais
Vulvites e vulvovaginites
Infecções cervicais ou do colo do útero
Doenças sexualmente transmissíveis

Os corrimentos mais comuns são:

Candidíase
Tricomoníase
Vaginose bacteriana
Cervicites

Achei um site que a explicação é bem completa, é só clicar aqui.

Lili, o que você está esperando para marcar uma consulta com um ginecologista? Vai deixar “coalhar” tudo de vez? Vai ficar brincando com a sua saúde? E se esse corrimento for vestígio de alguma DST (doença sexualmente transmissível)?
Se manca, mulher! Cai na real.

To aqui pensando... se você não cuida da sua “Lili” (leia-se buceta ou vagina, se preferir), coitado do seu “Loló” (leia-se cu ou ânus).

E você já pensou na possibilidade do teu macho te deixar? É minha querida, ele pode encontrar alguém sem “queijinho”, cair de boca e gamar, por isto e principalmente pela sua saúde, trate de se cuidar.

Surpreendo-me por estarmos em pleno século 21 e ainda ter mulheres com vergonhazinha de ir ao médico, de se cuidar, mas vergonha de trepar ninguém tem, né não?

Por causa do e-mail da Lili eu acabei falando da minha mania de limpeza, do meu excesso de higiene pessoal e até meu cu entrou na reta, pobrezinho. Mas tenho orgulho de ser cheirosa e cuidar do meu furico com o mesmo carinho que cuido do resto do meu corpo.

Tem quem diz que a pessoa com mania de limpeza é infeliz sexualmente, que tem falta de pinto (pau, pica, pênis). Pode até ser, conheço algumas mulheres que sentem nojo de tudo, inclusive de pau. Uma vez conheci uma que dizia que não transava com o marido porque tinha alergia da "coisa" dele. O prazer dela era passar o dia todo com a vassoura e o rodo na mão (num pau fino e gelado de madeira, aff).

Se tem algo na minha vida que sou muito bem resolvida é com sexo e não fico sem (não mesmo, senão o mau humor reina). Na cama não sou frescurenta e nem nojenta, aliás, mulher cheia de frescura é uó!

Só que sou limpa e nem com reza brava deixarei de ser.

E vocês meus amores, o que acham de tudo isso?

*
Beijos e boa semana, pessoal!
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br


Para ver o vídeo do tal pastor, clique aqui

Meu twitter =)

Mau hálito (halitose)

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Ultimamente nem estou precisando escolher um tema para escrever, pois tenho recebido tantos e-mails de leitores pedindo conselhos e ajuda, que por fim acabo sempre tendo um assunto fresquinho e novo para falar. Aproveito para agradecer o carinho de todos vocês leitores e pelos e-mails que me mandam. E que fique bem esclarecido que todos os nomes usados aqui são fictícios, ok?

Vamos ao que interessa... Silvana relata o seguinte:

“Namoro há dois anos e faz mais ou menos uns seis meses que estou passando por uma situação muito desagradável. Meu namorado é super sistemático com higiene pessoal só que quando o assunto é dentista, ele morre de medo. E embora ela escove os dentes direito, de um tempo pra cá tenho sentido que ele está com mau hálito e só vem aumentando. Dia desse ele se queixou que um dente estava doendo e eu pedi para ver e reparei que os dentes dele estão precisando de um belo trato. Parece bobeira da minha parte, mas estou ficando desesperada, pois tenho perdido o desejo por ele, devido ao tal mau hálito. Está tão forte que se ele me beija o pescoço, o cheiro fica grudado em mim. Tenho dado dicas, falo pra ele ir ao dentista e ele sempre diz que um dia vai. Um dia quando? Não dá pra continuar assim, nem amor tenho vontade de fazer com ele quando penso no seu hálito ruim. O amo demais e não sei como tocar neste assunto com ele. Alguma sugestão, Jana?”

Ishi Silvana, pior que este assunto é realmente super delicado.
Mau hálito ou halitose é uma das coisas mais constrangedoras e o pior (pra ferrar de vez) é que a pessoa que tem, costuma não sentir. Todos ao seu redor têm o desprazer de sentir, mas ninguém tem coragem de falar.

Mas convenhamos que é muito chato chegar pra pessoa, ainda mais para o love e dizer: “Benzinho, seu hálito está vencido”, só que ao mesmo tempo, aturar bafo, dá não, véiiiiiiiiii!

O que causa o mau hálito?

Existem mais de quarentas causas diferentes, mas citarei as mais comuns, ok?

Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. Possuímos mais de seiscentos tipos de bactérias na nossa “boquitcha” (nojinho), muitas delas capazes de produzir odor. Essas bactérias se alojam entre os dentes e na região posterior da língua.

A saburra lingual ou língua saburrosa (que nome mais medonho, credo) também causa halitose. É uma placa de bactérias que se aderem a língua, deixando-a esbranquiçada.

Cáseos amigdalianos (parece que to falando grego, né?): Popularmente chamado de bolinhas na garganta, essas ficam presas a amídalas e consistem a restos de comida. Nessa ocasião, a própria pessoa consegue sentir o cheiro ruim do seu hálito (tá me dando náusea).

Ficar muito tempo em jejum também pode causar halitose, por isto o bafinho não é dos melhores quando acordamos.
Só em filme e novela que o casal acorda lindo e com a boca de hortelã. Poupe-me!

Em caso de doenças mais sérias, como diabetes mal controlada, doenças renais e hepáticas a pessoa também pode sofrer de halitose.

Não venha dizer que teu problema é estomacal, pois a maioria das pesquisas diz que isto é mito.

Mau hálito por alimentação só ocorre se você come muito alho, cebola (principalmente cebola roxa que aí sim, é pra matar) e mesmo assim a baforada é passageira, basta escovar bem os dentes.

Como saber se você tem mau hálito:

As pessoas estão feito loucas, obsessivas, te oferecendo balas e chicles?
Isto não é bom sinal.

Você ganhou de alguém, assim do nada, um kit com escova, creme e fio dental e de lambuja um Listerine? Ou mandaram você “curtir” no facebook o link da Oral-B para ganhar brindes?
Tá, isso foi só para descontrair, até eu estou rindo aqui.

Quando você está conversando, a pessoa se distancia ou vira o rosto, mesmo que disfarçadamente e fica olhando para o teto?
Ta ficando perigoso o bagulho.

Quando você está entre amigos eles começam a falar de tratamento dentário?
Xiiiii, ta piorando...

Teu amor tem evitado te beijar na boca?
Isto é péssimo sinal. Visite um dentista com urgência.

Você pode perguntar para alguém muito íntimo e pedir para que não minta: “Ei, eu tenho mau hálito?”. Perguntar a uma criança pode ser uma ótima opção, afinal, dificilmente crianças mentem. “Credo tio (a), que bafo de onça”.
Pobre criança!

Uma vez vi em um programa de televisão (não lembro qual) o apresentador falando para pegar um saquinho e encher como se fosse uma bexiga e depois soltar o ar em direção ao nariz. Não sei se funciona, mas se funcionar e você tiver bafo tenebroso, corre o risco de desmaiar (exagero).

Em vários sites que falam do assunto, citam um teste que pode dar certo. Passe a língua no punho ou o dorso da mão espere de 20 a 30 segundos e cheire o local. O aroma que você sentir é o mesmo do seu hálito.

Não vai fazer isto se você estiver lendo este post no seu trabalho ou em uma lan house, senão o povo vai achar que você enlouqueceu, né não? Deixe para se lamber quando estiver em um lugar seguro, com privacidade, mesmo porque, se o cheiro que ficar na sua pele for ruim, você vai é precisar de água e sabão e de ligar urgente marcando uma consulta com o seu dentista.

A boa notícia é que esse bafão, ops, o mau-hálito tem cura!
Uffa, que alívio, não?

Silvana, minha querida. Entendo o seu drama e não acho que seja bobeira. Só que não é fácil chegar e dizer na cara larga para o teu homem que ele está com o bafo vencido. Talvez ele se ofenda, vai saber. Que tal avisá-lo por e-mail? Calma, vou explicar...

A clínica Halitus tem um serviço de aviso chamado Bom amigo X Mau Hálito, onde você pode ajudar um amigo, algum parente ou o seu (sua) parceiro (a) a saber que ele está com mau hálito. O melhor é que sua identidade será mantida em total sigilo, a pessoa não saberá que foi você que tomou a atitude de avisá-la. Basta você acessar este link preencher o nome e o e-mail de seu amigo e a clínica entrará em contato, enviando um e-mail delicado e profissional, informando que “alguém” quer o bem da tal pessoa e tomou a atitude de entrar em contato para ajudá-lo.

Ou seja, Silvana... você ficará como anônima, o serviço é totalmente confidencial e teu bofe nunca saberá que foi você que o indicou, mas aí, se por acaso ele chegar todo revoltado, falando recebeu um e-mail dizendo que ele tem mau hálito, não vai estragar tudo. Talvez nessa hora ele te faça a esperada pergunta: “Eu tenho mau hálito?”.

Pega carona, né amiga? Com jeitinho você diz que ultimamente o hálito dele não anda muito bom, que deve ser algo simples, mas que ele TEM QUE CUIDAR DA BOCA E IR AO DENTISTA (tá, não precisa se desesperar e gritar).

Eu apoio o serviço da clínica Halitus, achei muito bom mesmo!

Minha gente, dentes, gengivas e língua têm que ser bem cuidados. Toda a boca merece ser tratada com carinho, poxa!

Eu detesto dentista, morro de medo, tenho pânico mesmo, a ponto de sentar na cadeira, tomar anestesia e mentir, chorar, fazer escândalo, dizendo que ainda estou sentindo o “motorzinho” e na real, não estou sentindo nada, não sinto nem meu rosto, mas faço isto pra ver se ganho uma dose extra de anestésico (a louca).

Com todo o meu medo, eu encaro o “monstro”. Não têm como fugir, afinal, não quero ficar com os dentes estragados e ter boca de bueiro, bafo de onça nem pensar, cruzes!

E você, está com a boca "nos trinks"?

*

Beijo e boa semana, pessoal!
Jana Pupo.

Dúvidas, críticas, dicas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Ejaculação Feminina.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Seguinte, essa semana eu recebi um e-mail de uma leitora pedindo socorro, isso mesmo, não estou exagerando... ela pediu socorro com todas as letras e vou mostrar a vocês o porque...

“Meu nome é Marlene, tenho 33 anos. Sempre fui bem resolvida com o sexo, só que ano passado conheci um rapaz e desde então minha vida sexual mudou. O sexo com este homem era maravilhoso, até que um dia, quando eu atingi o orgasmo, deixei a cama encharcada e quase morri de vergonha. Me senti muito mal e nunca mais tive coragem de olhar na cara dele. Hoje estou namorando com um homem mais novo, só que durante nossas transas, quando estou chegando ao orgasmo eu bloqueio porque tenho medo de urinar. Estamos juntos há 5 meses e eu nunca tive um orgasmo por medo. Faço xixi antes do sexo começar mas não tem jeito, pois toda vez que um orgasmo se aproxima eu sinto junto do tesão a sensação de que vou fazer xixi. Uma vez vi em um programa de televisão uma pessoa falando sobre ejaculação feminina e essa sexóloga disse que isso não existe, que é coisa de filme pornô. Não tenho coragem de falar sobre isto com o meu ginecologista e muito menos com as minhas amigas. Estou sem saber o que fazer e morrendo de medo de perder o meu namorado. Socorro Jana!”

Marlene, minha querida, tem certeza que você é bem resolvida com sexo?
Sei não, viu...

Não precisa ficar desesperada, puxando os cabelos, pedindo socorro, chamar o SAMU (ou o corpo de bombeiros por achar que está numa enchente). Você não é uma Maria mijona que sofre de incontinência urinária. Isso que você chama de urina é a tal ejaculação feminina, conhecida também como squirt.

É comum que a mulher fique confusa quando isso acontece pela primeira vez, afinal, pode parecer estranho sentir um líquido transparente (que não é água e nem urina) esguichando de sua perseguida (uretra).

A ejaculação feminina ocorre pela estimulação do ponto G.
Durante a excitação um líquido é produzido pelas glândulas parauretrais chamadas de Skene. Ao atingir o orgasmo, a vagina se contrai liberando de 15 a 200 ml desse líquido (eita, quase uma Niágara Falls). É de cor clara, às vezes viscoso e geralmente sem cheiro.

Existem sites que dão até manual, tipo, “Como fazer uma mulher ejacular” ou “Aulas de manobras dedais para fazer sua amada esguichar” ou “Compre o manual de ejaculação e ganhe uma capa para proteger o seu colchão”.
Aff, pelamor, né? O casal passará a estudar o ponto G e se a mulher não se acabar em água vai ficar frustrada. Tudo bem, pode "explorar" a gruta, mas se acontecer naturalmente é muito mais gostoso.

Tem mulher que diz que gozar é bom, mas ejacular não tem preço. Que o prazer é o maior que existe. Eu não concordo. Tive essa experiência uma vez (e não jorrei feito as cataratas de Iguaçu, tava mais pra uma cachoeirinha de São Thomé, mas molhou bem a cama), o prazer realmente é enorme, mas tive orgasmos “normais” muito mais intensos, de me deixar “ a la Shakira, louca, louca, louca”.

Marlene, que negócio é esse de ficar sem gozar cinco meses por medo de ejacular?
Amiga, tu é guerreira, heim? Cruz credo, ta pagando algum castigo?

Larga a mão de ser tchonga, mulher! Ter vergonha de ligar seu chuveirinho?
Ah, garanto que muitas mulheres queriam estar no teu lugar.

Pode sim acontecer de, de repente, o cara estar fazendo um oral bem gostoso em você e ser surpreendido ao ter a cara lavada.
Se você fica constrangida em gozar durante o sexo oral, troque o foco, não precisa ser no rostinho do seu bonitinho, goze durante a penetração, ou nos deditchos dele, sei lá, invente!

Tem homem que diz sentir nojo? Tem!
Ok, se ele sente nojo do teu gozo, nada dele gozar na tua boca, né não?

Muito homem tem fetiche com isso, talvez por apreciar atrizes de filmes pornôs esguichando exageradamente. Converse com o teu bofe, não vale sentir vergonha nessa hora, explique para ele que você ejacula quando goza, que é bastante, que você tem uma duchinha entre as pernas, que está sempre pronta para fazer "um brinde com a melhor champagne que existe".
O bom humor também ajuda, torna o papo mais descontraído, só não deixe ele chamar sua duchinha de “gorducha ou corona”, se ele fizer isto merece uns petelecos.

Conversando todo mundo se entende, não é?

Não vale ficar se retraindo, deixando de aproveitar suas transas, deixando de saborear a melhor parte da “refeição”, não comer a cereja do bolo, não gozar, não ficar satisfeita.
Ruim seria se você não conseguisse atingir o orgasmo, sua boba. Chame logo teu love para um téte a téte e borá relaxar e gozar, minha filha!

A outra opção é você passar o resto da sua vida escondendo o “teu segredo” e transando em piscinas, banheiras de hidromassagem, rios, mares, lagoas. Praticamente uma Ariel, a pequena sereia.

E vocês meus amores, o que acham da “tão misteriosa” ejaculação feminina?



*

Beijos e boa semana.
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Estou amando uma garota de programa - GP

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Hoje falarei de um assunto que talvez seja polêmico e mais uma vez, a pedido de um leitor.

“Meu nome é Flávio, tenho 37 anos e sou economista. Há dois anos conheci Ieda em um bar de São Paulo. A afinidade foi incrível desde a primeira conversa. Ieda disse que era arquiteta. Passamos a nos encontrar semanalmente, sentimentos começaram a aflorar, estávamos muito envolvidos e depois de dois meses ela resolveu me contar a verdade sobre a sua profissão, Ieda era garota de programa. Na hora eu não pude acreditar, fiquei chocado, discutimos e eu quis terminar tudo. Só que eu não conseguia parar de pensar naquela mulher e reatamos o namoro. Ieda prometeu que, assim que se formar vai largar a prostituição. Ofereci-me em pagar sua faculdade, é um valor alto, mas ela não tem só essa dívida e infelizmente ainda não tenho condição de bancar tudo. Confio na minha namorada, sei que ela me ama e que vai cumprir o prometido. Não é fácil para mim e nem para ela. Muitas vezes fico imaginando Ieda transando com outros homens e me corrôo de ciúmes, por isto, prefiro evitar esses pensamentos. Falta um ano para Ieda se formar e ela já tem um bom valor em dinheiro guardado, para poder se manter até encontrar um emprego em sua área e finalmente começarmos uma nova vida. Temos planos juntos, queremos nos casar, ter uma família, Ieda sonha com isto. Só que dia destes, um colega do meu trabalho, que não conhecia Ieda, a viu comigo em uma festa da empresa e veio perguntar quanto eu estava pagando para me exibir na festa com aquela puta. Ele já havia saído com ela. Perdi a cabeça, fui pra cima dele e exigi que ele tratasse com respeito a minha namorada. Ele espalhou na empresa que eu namoro uma prostituta e que já transou com ela e eu virei motivo de chacota para os meus colegas. Não estou sabendo como agir, pensei até em pedir demissão. O que você sugere? Será que ela vai mesmo cumprir o que prometeu? É errado amar uma profissional do sexo?”

Ai ai ai, querido Flávio... hoje é capaz do povo me desconjurar, mas to nem aí, não banco a hipócrita, cada um tem sua opinião e a minha é a seguinte.

Tem quem ache que um relacionamento desses só pode dar certo no filme “Uma linda mulher”, pois eu acredito num romance desse SIM!

Calma ae, não to falando num romance idêntico ao do filme, afinal, achar um peixão (ou gatão?) igual o Richard Gere dando bandeira nas esquinas afora é quase lenda. Boto fé que um homem pode se apaixonar por uma garota de programa e terem um final feliz.

Ok, eu disse que acredito, não disse que é fácil, porque não é mesmo! Para o homem suportar namorar ou casar com uma garota de programa, ele tem que ter uma estrutura psicológica muito “arretada” de grande. Tem que ser confiante, seguro e digamos que, um tanto centrado na relação, deixando de pensar nos homens alheios que possuem sua amada.

Não existe isto de não sentir ciúme, qualquer um sente ciúme, em menor ou maior grau. Imagina você saber que a pessoa que você ama está na cama com outro, mesmo que a trabalho? Imagina ela chegando com o perfume de outro homem? Complicadíssimo, tem que ser muito foda, eu diria até um pouco frio, para suportar. Entender que a pessoa amada trepa com outros mesmo sendo profissionalmente deve ser o ó do borogodó. Exige muito equilíbrio. Por isto, se o cara for possessivo, nem pensar em se envolver com uma mulher desse ramo, senão acabará em B.O.

Flávio, entendo as suas preocupações, mas vamos por partes. Sobre você pedir demissão: emprego hoje em dia não está nada fácil, imagino o quanto está sendo horrível pra você trabalhar num ambiente assim, tendo seus colegas tirando sarro da sua cara, só que, e se você perder este emprego e de repente não conseguir outro tão cedo?
Sei não, acho que você deveria ignorar esses manézinhos preconceituosos que trabalham com você e só pedir demissão se tiver um emprego no mesmo patamar ou melhor que o seu em vista.

Esse babaca que espalhou sobre você na empresa deve ter pinto pequeno e fino. Deve trepar uma vez a cada dois meses e contar vantagem para os amigos. E sem querer desvalorizar o trabalho das garotas de programa, mas o cara é tão foda que tem que pagar por sexo. Santo boca aberta! Acho que ele queria estar é no teu lugar!

Quanto a sua namorada largar a profissão, eu não sei o que dizer, mas certamente seu coração sabe. O tal do sexto sentido nos manda o recado. Tem muita GP que larga a “carreira” por causa de um grande amor. Eu conheço garotas de programas que pararam e não voltaram a vender o corpo.
E diferente do que muitos homens (e mulheres) pensam, a vida de uma GP não é mil maravilhas, não. Elas passam por “perreios” também. Essas mulheres carregam rótulos colocados pela sociedade. Mas e as mulheres que casam por interesse, só pelo dinheiro do Zé Mané? Pois é... tem muitas, mas essas são chamadas de espertas, né não?
Ok, não estou aqui pra falar da vida dessas meninas que vendem sexo (não dessa vez), só adianto que não as julgo.
Cada um faz sua escolha, não é?

Queridinho, a gente se lasca, se ferra, quebra a cara, parte o coração, fica brega, se submete a situações cafonas, passa por ridículo, mas fato é que, não dá pra fugir deste sentimento, o tal do amor.

Quando ele nos pega, é um puta sequestro, ficamos feito tontos, só pensamos na tal pessoa, viramos refém dela. Não adianta chamar o Chapolin Colorado, nem o Batman, nem o Superman... ninguém irá te salvar!

Se você conseguir esperá-la se formar e depois conviver com o passado dela, já é mais que a metade do caminho andado.
Eu sou um pouco carne louca (ciumenta, com moderação), acho que eu não conseguiria aceitar, minha mente é malvada, eu ficaria imaginando meu love fazendo até o canguru perneta na cama com outra e nem lipoaspiração iria sugar esses pensamentos do meu cérebro. Eu me torturaria diariamente com os pensamentos malignos e uma faquinha de pão pullman.

“É errado amar uma profissional do sexo?”

Errado é não fazer o que temos vontade, errado é não viver um amor porque os outros, a sociedade, julga errado por puro preconceito.
Você não está prejudicando ninguém, então não tem nada de errado. Quem pode sair ferido disto tudo é você, ou ela, mas qualquer casal corre esse risco.

É o teu furico que está na reta (e o dela), portanto, se esse relacionamento te faz feliz, se vocês se amam, liga o foda-se e viva. Se for uma cilada, pode me chamar que te dou meu ombro e levo uns lenços porque não quero meleca molhada de nariz na minha roupicha.

Como diria Nelson Rodrigues: “Qualquer um de nós já amou errado, já odiou errado”.

Ela pode ser sua alma gêmea, sua cara metade, a tampa da sua panela, a metade da sua laranja... só arriscando pra saber, né não?

E para descontrair, deixo um trecho de uma música do meu amado Raul Seixas, chamada Babilina. Não me xinga, heim Flávio, é brincadeirinha.

“Quando cê chega com a bolsa entupida de tutu
Imagino quanta gente se deu bem no meu baú
Você me garante que não sente nada não
E que só comigo você tem satisfação
É dentro de casa que eu te quero meu amor, larga desse emprego baby por favor”.

Também pode acontecer de você ter que trocar Raul por Exaltasamba (eu não curto isso não, heim) e sair cantando:

“Eu me apaixonei pela pessoa errada
Ninguém sabe o quanto que estou sofrendo...”

E então minha gente, qual a opinião de vocês sobre o namoro do Flávio?


*

Beijos e boa semana.
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Entre tapas e beijos.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido.

O assunto de hoje é complicado e como um leitor pediu para que eu falasse sobre o “problema” dele aqui no blog, estou atendendo o seu pedido. Provavelmente, algumas pessoas irão se perguntar: “Como pode alguém gostar disto?”.

Renato, o leitor que me pediu ajuda, relata o seguinte:

“Quando comecei a namorar Rosana ela me disse que tinha uma vontade diferente. Demorou alguns meses para que ela me contasse sobre a tal vontade, até que um dia, durante uma transa, ela sussurrou no meu ouvido que gostava de levar uns tapas. Achei normal, afinal, muitas mulheres gostam de uns tapinhas na hora H. Faz 2 ano que estamos juntos e noivamos, só que de um tempo pra cá, tenho ficado assustado com a nossa relação. Rosana não está mais aceitando tapinhas enquanto transamos, ela quer tapas fortes, bofetadas mesmo. E o que mais me apavora é que a agressão não está mais a satisfazendo só na cama, por exemplo, chego na casa dela e ela pede para que eu lhe surre enquanto ela está cozinhando ou quando estamos vendo um filme. Dias destes ela estava lavando a louça e me chamou, pedindo para que eu desse um belo tapa em seu rosto. Perguntei se ela estava louca e ela começou a me xingar de tudo quanto era nome, eu respirei fundo, ela continuou me desafiando e disse que eu ia ser corno, pois ela ia encontrar um cara pra satisfazer a sua vontade. Perdi a cabeça e lasquei um tapa na cara dela e ela, sorrindo, pediu para que eu batesse mais forte. Neguei e então ela respondeu que eu não prestava nem pra bater, que nem parecia um homem de verdade e sem pensar duas vezes, estalei a palma da minha mão no seu rosto. Ela caiu no chão e se contorcia, parecia estar louca de prazer e continuava pedindo para que eu a surrasse. Virei as costas e fui embora, indignado e estou apavorado. A amo demais, mas sempre fui contra relar o dedo em qualquer mulher, detesto agressão, isso me broxa e a mulher que eu quero para ser minha esposa só sente prazer se for apanhando. Depois deste dia tivemos uma séria conversa, questionei sobre a sua infância, se ela foi vítima de agressão ou se o pai batia em sua mãe, e ela disse que a infância dela foi de princesa e que sua família é mais perfeita que existe. Ela assumiu que gosta de ser espancada, que isto lhe excita demais e que quer as minhas marcas no seu corpo, que só assim ela será feliz comigo. Não quero perde-la, mas não consigo continuar com essa pancadaria. Homem que bate em mulher é covarde e prometi que não vou mais agredi-la nem com tapinhas. O que eu faço, Jana?”

Aiiii, como diria a minha avó, “meu bom Jesus de Iguape”!
Queria eu ser a Santa Jana agora pra ter alguma solução instantânea e te ajudar Renato.

Darei a minha opinião, se eu falar bobagens, sinto muito, a intenção não era essa.
Acredito que muitas mulheres gostam de ser pegas de jeito, levar uns tapinhas (na bunda, não no rosto) durante a transa, mas nada de querer bancar o Ryu ou o Ken (Street Fighter) e nos encher de tapão, socos e pontapés.

Eu acho excitante receber umas palmadinhas, levar uns puxões de cabelos, umas mordidinhas de leve e até mesmo uma boa chupada no pescoço ou em algum lugar “estratégico”.
Dia desses uma amiga apareceu com um chupão na bochecha e tive crise de riso. Ou o cara era muito possessivo e queria mostrar pra todos que aquela mulher da bochecha chupada tem dono ou ele estava tão louco de tesão que deu uma de peixe cascudo (aquele que gruda no vidro do aquário) e chupou o primeiro lugar que viu pela frente ou confundiu os seios dela com as maças das bochechas.
Enfim, palmadas, puxões de cabelos, mordidinhas, chupões... com moderação e com carinho, pode duplicar (até triplicar) o tesão.

Mas voltando ao caso do meu querido leitor...
Renato, li e reli teu e-mail e a princípio, julguei sua noiva doida de pedra. Depois achei que o maluco é você por continuar numa enrascada desta, mas então, parei para analisar melhor e me colocando no teu lugar, imagino o quanto deve ser foda isso tudo, afinal, estamos falando da mulher que você ama e sinceramente, talvez você me odeie depois de ler este post, mas não deixarei de falar o que penso. É a minha vez de te dar chibatadas com a minha língua afiada.

Um dia eu estava passando por determinado lugar com um amigo e vi uma mulher sendo espancada por um homem. Fiquei indignada, meu amigo parou o carro e gritou: “Ei seu merda, solta a moça!” e para a nossa surpresa, a mulher toda descabelada, com a blusa rasgada e quase cuspindo os dentes (cuspir os dentes foi exagero) resmungou: “Merda é você. Não se mete, ele é meu marido e sabe o que faz!”.

Juro que minha vontade naquele momento foi de descer do carro e ajudar o marido a continuar com a surra na dona doida.
Aaapaputaquepariu! Por causa de mulher desse tipo, muitos homens se acham no direito de sair distribuindo bofetadas – foi o que pensei.

Só que veja bem... naquele caso, pensando friamente, aquele casal devia ser feliz, pois ele parecia gostar de bater e ela, de apanhar. Eram almas gêmeas.

Renato, no seu caso, você e a Rosana não são almas gêmeas, porque você não gosta de agressão, violência e ela necessita disto para ser feliz.
Se você fizer a vontade dela, ficará frustrado e broxado e ela feliz. Se você não fizer, ela que ficará insatisfeita e infeliz. Ou seja, os dois nunca estarão em sintonia e a tal felicidade (do casal *mimimi) vai para o beleléu.

Pra todo masoquista existe um sádico e pelo o que tudo indica, de sádico você não tem nada, Renato (ok, não sei se a Rosana é masoquista, só estou dando o meu pitaco).

Euzinha, no teu lugar, mesmo amando a pessoa, não iria adiante nesta relação. Terminei um namoro porque o “féladaputa” me deu um tapinha na cara durante uma discussão. Pensa numa briga de gatos. Pensou? Pois bem, ele deu o tapa e eu fui igual um tsumani pra cima dele, com unhas e dentes, quase banquei o Mike Tyson mordendo a orelha do bofe. Ele não reagiu, só apanhou e depois veio pedir perdão. Enfia o perdão no toba!

Sabemos quando estamos num barco furado, mas se você acha que deve insistir, vá em frente, só que o risco de você nadar pra cacete e morrer na praia é enorme (por você não curtir bater na sua amada).

Todos que já leram os meus textos, sabem que eu sou a favor de fazer o que dá prazer, mas desde que ambos (o casal) sintam prazer. Isso de fazer algo só para agradar o love, está fora de cogitação para mim.
Claro que, se a garota me vier dizer que morre de nojo de fazer sexo oral, sem nunca ter chupado um pau, eu vou é mandá-la cair de boca, porque a danada gosta de ter a língua do bofe na sua “perseguida” e na hora dela lamber o pirulito vem falar de nojinho? Sua bocó, não sabe o que é bom!

Mas coisas mais “delicadas” e não tão “casuais” acho que só pode rolar se o casal tiver o mesmo gosto e tesão naquilo.

Sou contra a violência, detesto agressão, mas meu povo, se a pessoa se molha toda, se derrete e morre de prazer apanhando, fazer o que? Vou chamá-la de doente? Não!
Uns gostam dos olhos, outros da remela e se o cidadão é feliz levando uns tabefes, só lhe resta arrumar uma alma gêmea que se sinta feliz batendo.

Acho que é preciso tomar cuidado para a situação não perder o controle.
O casal começa com tapas, depois passa pra socos, chutes, pontapés, voadoras e daqui a pouco estão com munição no quarto e aí só resta o velório (cruzes).

Sou a favor do homem só bater punheta e a mulher siririca, mas gosto é igual cu, cada um tem o seu!

E vocês, o que pensam sobre isso?

*

Beijos e boa semana, minha gente.
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)


- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot