Posts Populares

Competição Feminina.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Bora tentar ajudar outra leitora? Então vem comigo...

"Meu nome é Valéria, tenho vinte e três anos e comecei a namorar há duas semanas. Meu namorado é um fofo, lindo, educado e muito comunicativo. O conheço há quase dois meses, mas só agora aceitei namorá-lo. Só que Jana, estou com um grande problema. Ele já me apresentou a maioria dos seus amigos e eu sou uma pessoa de poucos amigos, tenho algumas colegas e uma melhor amiga, quase uma irmã. Ela também está louca para conhecê-lo, mas estou insegura, sinceramente, se tiver como evitar, prefiro que os dois não se conheçam por enquanto. Minha insegurança é porque minha melhor amiga é muito bonita, simpática e todos sempre se encantam com ela. Todas baladas que vamos juntas, é ao redor dela que os caras ficam e ela nem é uma Gisele Bündchen. Mesmo não tendo o corpo perfeito, ela é muito carismática e sexy. Sempre tentei chamar mais atenção do que ela, mas nunca consegui. Como faço para evitar que os dois se conheçam?”

Elêlê, a competição feminina reina até entre as melhores amigas e que coisa mais chata isto, cansativa.

Nunca acreditei naquela ladainha de mulher: “Me arrumo pra mim mesma”.
Ahãn, então se é pra você mesma, porque quando está SOZINHA EM CASA, você fica com a pior roupa que tem (que dá até pra confundir com pano de chão), o cabelo parece que nunca viu um pente na vida, nos pés você usa no máximo um chinelo velho e se fizer frio, coloca um par de meias para compor o “lindo” visual?
Por que não coloca aquele vestido divino, novinho, que acabou de comprar e calça seus sapatos preferidos, sim, aquele que enche os olhos de qualquer um, de tão maravilhoso?
Afinal, você se arruma pra você mesma, não é?

Pois é, tudo balela, conversa para boi dormir!

A competição feminina, dependendo do grau pode ser saudável, desde que você queira ser “a melhor” em certas situações, como por exemplo, profissionalmente ou se cuidar cada vez mais para se destacar entre as outras.
Na real, o que é de fazer o cu cair da bunda é a rivalidade feminina, porque junto dela vem a inveja, o ciúme, a diminuição da auto-estima, o sofrimento. A rivalidade faz a pessoa jogar sujo com o seu adversário.

Mulheres adoram competir entre elas e você sempre tem que desconfiar se não conhecer bem “aquelazinha” que acabou de entrar para a turma. De repente você está linda e ela, com gentileza, tenta te colocar algum defeitinho, sendo que não tem nada de errado no seu visual e por isto mesmo, a talzinha tenta estragar. E muitas vezes nem precisa ser “aquelazinha”, até mesmo sua amiga pode ficar incomodada com a sua beleza e tentar te convencer a mudar algo para “cagar” no teu look. Nesse caso, o melhor a se fazer é ter opinião própria. Tá bonita? Gostou do que está vendo no espelho? Então bora arrasar na night, minha filha!

Eu mesma só aceito opinião de três mulheres caso eu tenha alguma dúvida quando estou escolhendo uma roupa para sair: minha mãe, minha irmã e minha amiga Erika, pois sei que elas são extremamente sinceras e nunca competimos em nada (só em joguinhos bestas = UuueSTOP = deeedos).

Uma vez eu estava numa feira de artesanato com uns amigos e chegou um grupo de meninas, elogiando o meu cabelo, falando das minhas tatuagens, blábláblá. Depois de tantos elogios (e eu vermelha, sem graça, parecendo uma cereja), uma delas, que até então estava muda, resolveu abrir a boca e disse: “Acho que ficaria legal se você pintasse a sobrancelha também, sem pintar a sobrancelha fica estranho”.
Minha vontade foi de responder: Querida, vai pintar os pelos do cu que com certeza é o máximo que você tem coragem!

Imaginem minha sobrancelha pink? O capeta purpurinado, né?
O Bozo do inferno!

Tem mulher que, do dia pra noite, vê que a amiga está se dando bem em algo e aí surge o medo, a ameaça está no ar e ela começa a achar defeitos na tal amiga, a falar mal, a fazer calúnia, deixa a amiga mais pra baixo do que cu de cobra e antes, ela dizia adorar a pobrezinha.

Infelizmente não existe muita lealdade entre algumas mulheres e elas estão sempre dispostas, com o dedo bem duro e a unha bem comprida para cegar a outra.

E quando faz algum tempo que você não vê tal fulana e ela vira e diz: “Você deu uma engordada ou é a roupa?”
- É, eu vim vestida de balão!

Se o assunto for homem então...
Xiiii, aí é de rachar o cano. Tem mulher que prefere afogar uma amizade antiga por causa de um macho novo.
Algumas mulheres perdem tudo (até a dignidade) quando quer laçar o peão.
A moçoila se envolve com um cara casado e logo vai botando a culpa na coitada da esposa e não no filho da puta safado.

Olha o caso da nossa amiga Valéria. Ta namorando um super bofe e fica com o furico na mão, morrendo de medo de apresentar à melhor amiga.

Valéria, querida... se teu boyfriend é todo fofo (fofo é broxante, homens detestam ser chamados assim), se ele é tudo de bom e escolheu você, é porque você também arrasa, mulher!
Pega essa sua insegurança, tranca ela no armário, engole a chave (e não cague nunca mais), e cabeça erguida, confia no seu taco!
Ou você vai mudar para uma praia deserta com teu love, onde possivelmente não haja qualquer tipo de ameaça? De repente uma sereia pode tentar roubar o teu homem!

Para com isto, ele escolheu você!
Se continuar agindo assim, você pode perder a coisa mais importante nessa história toda: sua melhor amiga!
Porque amigos (de verdade) são tudo, homens nós achamos a cada esquina!

As mulheres competem sim e como sempre digo, a mulher quer estar bonita, diva, maravilhosa, para chamar a atenção de outra mulher.
Os homens também competem entre si, mas o foco é diferente. Competem no trabalho, no modelo do carro e não com coisas (tão) fúteis (isso de competir modelo de carro eu vejo como exibir seu pau. Se eu fosse homem ia ter pauzinho, porque adoro carros grandes, ou seja, quanto maior e mais potente o carro, menor é o seu pau. Tá, não estou generalizando).

Atire o primeiro salto alto quem nunca sentiu uma invejinha básica de uma amiga, de alguma colega de trabalho, ou até mesmo de uma desconhecida que viu na rua, enfim, de uma mulher com um “charme” a mais. Gostamos de ser a coca cola mais geladinha do freezer, o tic tac mais refrescante do potinho, o kinder ovo com a surpresa mais interessante. Gostamos de ser as mais inteligentes, a mais bonitas e sensuais.
Mas meu povo, ninguém é igual a ninguém e são as diferenças que nos fazem especiais.

O sol nasceu pra todos, basta cada um brilhar no seu espaço, pois se for tentar roubar o brilho do outro, com certeza você vai se dar mal e ficará mais apagada que bunda de vaga-lume morto.

Às vezes simplesmente colorimos os outros com mais beleza do que eles realmente têm!

*

Beijos e boa semana, meus amores.
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Meu facebook
=D

E o amor próprio, cadê?

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Tá, nada de xurumelas, vamos direto ao assunto.

“Meu nome é Cassia e namorei um cara maravilhoso durante sete meses. Há três meses ele terminou comigo e disse que sou demais para ele, que sou muito bonita e que isso o incomoda, porque ele se sente inferior perto de mim e que ele sempre me amou. Só que ele é lindo também, tanto que sempre tem garotas no pé dele. Desde que ele terminou, ainda mantemos contato. E o que me atormenta é que ele só me procura quando está mal ou quando não tem dinheiro ou quando não tem nada pra fazer, aí ele me liga e vem dormir na minha casa. Quando ele está na temporada de sair de baladas com os amigos, ele nem lembra que eu existo. Ele chegou a namorar 1 mês com uma bestinha aí, só que quando ele terminou, me procurou dizendo que o namoro não vingou porque ele só pensava em mim só que ele não quer compromisso sério entre nós. Sei que ele me ama e que fica inseguro de voltar comigo, mas fico triste por ele ser tão de lua e só me procurar quando está carente e eu sempre estou de braços abertos pra ele. O que eu faço, Jana?”

Cássia, minha querida, você tem razão... o Javier Bardem, o Antonio Banderas, o Edward Norton e o Chris Noth estão tudo frustrados iguais a você, porque eles querem casar comigo, mas eu dispensei, sabe?
São lindos demais pra minha pessoa e me sinto inferior... até o Jim Morrison apareceu numa sessão espírita dizendo que está me esperando, mas mandei ele “desencaRnar” porque eu me sinto melhor com o Pedro de Lara.

Ahhhh vááá, Cássia! Faça-me o favor! Você jura que acreditou nessa história da carochinha?

De boa, serei breve e prática com você, então pega o chicote aí, pois cada chicotea provavelmente doerá menos que minhas palavras.

O bofe te larga dando a desculpinha que você é uma cereja boa demais, de elite, para decorar o bolinho dele. Que é uma tampa de ouro para sua panela de latão. Que é um chinelo com strass swarovski para o seu pé cansado.
Ahãn... to acreditando.

Aí, não bastando a desculpa chucra que ele deu usando a sua mega beleza arrebatadora, o cara some e quando está carente aparece, quando não tem nada de melhor pra fazer bate na sua porta e você além da porta abre os braços e as pernas (Mariquinha).
Ele tenta um namoro com outra garota, não vinga, te conta outra mentira e você ajoelha e reza.

Cássia, você cheirou pum? Comeu merda enlatada? Está possuída por algum espírito Jatobá (cego) maligno?
Acorda, menina!

Você não passa de um “step” para esse rapaz. Ele coloca um monte de fêmeas pra rodar no carro dele e quando os pneus arriam, ele vem te usar. E com tudo isto você ainda crê que ele te ama?
O bofe está cagando com o furico pra cima por você, tá nem aí com nada, minha filha!

E quer saber?
Ele não é o mané da história, a tchonga é você, que está cega. E de amor você não entende nada, pois se entendesse se amaria em primeiro lugar.

Chego a ficar louca do cu quando percebo que cada vez mais, o número de mulheres pamonhas tem aumentado. Só pode ser amor de pica, não é possível!

“Ele diz que me ama, que só pensa em mim, mas não quer compromisso sério”

A resposta é simples: ELE NÃO TE AMA!
Se te amasse, estaria com você, enfrentaria mundos e fundos para estar ao seu lado, enfrentaria até sua beleza estonteante ou quem sabe te pagaria uma plástica para você entortar o seu nariz ou de repente, implantar um olho no meio da testa ¬¬

Daqui a pouco ele enjoa da sua tchonguice e some de uma vez e aí é capaz que você se iluda, achando que o super bofe foi abduzido por um grupo de ET’s adoradores de mulheres feias.

Homem não é Deus pra você colocar no altar e ficar dizendo amém (ninguém é).

Se valorize, pare e analise a sua situação, veja que papelzinho você está fazendo.
Vai ser feliz, Cássia... para que ficar sofrendo e se acomodar com tão pouco, sendo que você pode ter (quase) tudo com outra pessoa ou até mesmo sozinha?

É clichê, mela cueca, mas real: Antes só, do que mal acompanhada!

Existe o grupo MADA, né (mulheres que amam demais)... acho que vou criar o grupo MODA = mulheres que SE ODEIAM demais.
Que tal?

Se você não tem amor próprio, como pode amar ou ser amada (o)?


*

Beijos e boa semana. Jana Pupo. Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para: jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Facebook
=D



O tiro saiu pela culatra.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo lindo e querido!

Hoje o assunto é delicado, então vamos dar uma força para a Fernanda e contenham os risos (difícil)...

“Meu nome é Fernanda e acho que só você pode me ajudar. Namoro há nove meses e meu namorado é tudo de bom. Carinhoso, inteligente, lindo e ótimo de cama. Tudo ia muito bem até acontecer algo muito desagradável. Mês retrasado, estávamos fazendo amor e ele pediu para que eu ficasse numa determinada posição e quando ele introduziu o pênis na minha vagina, saiu de dentro de mim um barulho horroroso, parecia um pum, só que pela vagina, sei lá. Fiquei muito constrangida e me sentindo frouxa por não conseguir controlar. Ele fez de conta de que nada tinha acontecido. Aí, para a minha infelicidade, estávamos transando dia desses e ele veio fazer sexo oral em mim e eu quase morri de vergonha, pois soltei um pum enquanto ele me chupava e dessa vez eu senti que estava com gases e foi acidente, não consegui segurar. Pude sentir o cheiro, fiquei tão sem jeito. Ele mais uma vez fez de conta que nada havia acontecido, só que desde então, eu estou evitando, fugindo do meu namorado, porque fico pensando que ele me acha uma porca. Ele vive perguntando o que eu tenho e como vou explicar a ele? O amo demais, mas estou insegura, envergonhada. O que eu faço, Jana?”

Fernanda, minha querida , calma que isto não é o fim do mundo (mesmo sendo um super mico). Sabe aquele ditado “quem está na chuva é pra se molhar?”. Pois é, quem tem cu pode peidar (a qualquer hora, fazer o que?).

Ok, vamos falar primeiro sobre o barulho horroroso que você disse que saiu da sua “florceta”. Fica tranquila que nenhuma mulher solta “bufa” pela frente (xoxota). O nome desse “som perturbador” é flatulência vaginal.
A impressão que dá é que a perseguida está descontrolada, “atirando vento” e você não consegue fazer parar. Na verdade, é o ar que sai “da bonitinha” e faz até as “berimbelas” vibrarem (pequenos e grandes lábios – tem mulheres que tem beiços de tão grande, né não?). O som é idêntico ao da flatulência intestinal (peido), só que não tem odor desagradável, exceto se a mulher for uma descuidada, porca, relaxada da “tcheca” podre.

Pode acontecer essa entrada de ar na “vadiaina” (vulgo vagina em inglês) devido ao relaxamento da musculatura pélvica e das paredes vaginais. Em determinadas posições sexuais (de quatro, por exemplo), acontece com mais frequência, pois permite uma abertura maior da florceta e aí o Zé Picão (pênis) entra na “quentinha”, expulsa o ar e PrrrrrrR... sai aquele barulho empata foda.

Pois bem, querida Fernanda... você ainda não pode ser considerada uma peidorreira profissional, porque isso que te aconteceu não foi causado por gases intestinais e sim por vento (ou vendaval) xoxotal.

Agora vamos falar sobre soltar bufa na fuça do amado.

Olha, sendo muitíssimo sincera, confesso a você que sou mega encucada com essas coisas, morro de receio de passar por algum mico assim, por isto, costumo dizer que, quando saio de casa para encontrar o bofe, deixo meu cu trancado no armário.

Fernanda, digamos que você não foi a primeira e nem será a última a passar por isto. Quem tem furico está sujeito a pagar esse mico, ou seja, todo mundo! Imagino que além de sentir vergonha, você deve ter sentido muito raiva do seu “buraquinho” bancar o “soprador” mal educado, então amiga, toma um luftal da próxima vez para prevenir (caso você sinta que está com gases).

Teu love foi guerreiro (cabra macho da peste) ou então é mesmo fissurado na sua xana, porque não é qualquer homem que recebe um belo pum NA CAAARA e continua a brincadeira de boa, como se nada tivesse acontecido.

Sabe o que você deve fazer?
Aproveitar que ele se fingiu de morto, não tocar no assunto e bola pra frente. Imagine você chegar pra ele e dizer que está diferente porque sente vergonha do peido fujão daquele dia?! Não rola, né? Seria outro vexame a parte.

Foi acidente, seria diferente se isso fosse um fetiche seu, porque aí sim você teria que sair procurando um apreciador de peidos (que nojo, éca). Já pensou namorar com um apreciador de pum? No dia dos namorados ele mandaria de presente para a amada uma cesta com batata doce, feijão, repolho, couve-flor, aff!

Esquece isso Fernanda, para de fugir do teu homem, desencana, não vai deixar um pum estragar seu namoro feliz, né minha filha? Porque se isso acontecer, pode batizá-lo de peido herói, o SUPER PUM!

Micos fazem parte das nossas vidas, né não pessoal?
Atire a primeira pedra quem nunca pagou um miquinho que seja (ou um King Kong)!


*

Beijos e boa semana, meu povo!
Jana Pupo

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Facebook
=D


P.S.: Querido leitor, se você me mandou e-mail e ainda não respondi, não é por descaso. Tenha paciência que logo mais responderei, ok?

<3


Ele quer ir em uma casa de Swing.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido!

Sem lenga lenga, vamos direto ao assunto:

“Meu nome é Malu, tenho 35 anos e sou casada há dez anos. Durante esses anos de casada, tive muito desgosto com meu marido, pois vira e mexe eu descobria uma nova traição, por isto até hoje não tivemos filhos, eu não confio nele. Faz um ano que estamos vivendo bem, pois eu estava decidida a me divorciar, só que ele vem tocando num assunto que muito me incomoda, ele quer ir numa casa de swing. Eu não tenho vontade, mas mesmo assim, conversei com uma amiga e ela disse que posso ir com meu marido só para ver, assistir. Concordei, falei para ele que aceitaria ir, mas que seriamos expectadores, não iríamos participar. Meu marido não quer assim, ele quer fazer troca de casais e disse que só isso pode salvar o nosso casamento, que quer transar com outras mulheres e que eu não posso transar com outros homens, que isso é a prova do meu amor por ele. Falou que se eu não aceitar ele vai voltar a me trair e chegou até a falar em separação. Ando muito angustiada, Jana. Fico tentando imaginar como é dentro de uma casa dessa, o que tem por lá. Não quero fazer troca de casais, não quero ir numa casa de swing, mas também não quero perder o meu marido. O que eu faço?”

Ah minha querida Malu, mais uma mulher casada com um ogronildo ¬¬

Bom, vamos por partes, vou falar primeiro sobre o swing. Frequentadores de swing que lerem este post, se tiverem alguma correção a fazer ao que vou escrever, sintam-se à vontade, ok?

Muita gente, quando pensa em casa de swing, imagina uma grande suruba, um puta bacanal, pessoas trepando até no lustre de cabeça para baixo, xotas e pintos voadores, tudo isso ao som de muitos uivos, berros e gemidos de prazer.

A coisa não é bem assim, aliás, nem parecida. O que mais rola dentro de uma casa de swing é algo que muitos nem sonham: O RESPEITO.

As pessoas se respeitam, os casais se respeitam, nada é forçado. Ninguém vai chegar lá e ser obrigado a trepar na marra.

O swing é algo comum, podem acreditar. Só que “essa prática” só é válida para casais estáveis e tem que existir muita cumplicidade. Não há casos extraconjugais entre um casal swinger, não há traição, pois ambos não fazem nada escondido um do outro e só há “a troca” com o consentimento do (a) companheiro (a).

Muitos casais vão a uma casa de swing por pura curiosidade ou para apimentar o relacionamento, pois cansaram da rotina e tem os casais que tem hábitos liberais e essa passa a ser apenas mais uma experiência entre eles.

“Fico tentando imaginar como é dentro de uma casa dessa, o que tem por lá.”

Cada casa de swing possui seu formato, mas quando você entra, pensa que está numa balada como outra qualquer, não tem nada a ver com “a casa do diabo, o antro da perdição”. Tem música, pessoas bonitas, casais jovens, casais mais velhos, solteiros, gente vestida de forma mais comportadas, outras mais periguetes e tem os “assustados e afoitos” que são os curiosos de plantão.

Os ambientes mais famosos de uma casa de swing são, a pista de dança, que é uma pista como de outras casas noturnas, só que tem pole dance e é rodeada por mesinhas para os apreciadores de strip que a casa oferece. Digamos que é algo bem divertido.

O labirinto são caminhos estreitos, geralmente liberado para pessoas acompanhadas, cuja a intenção é que os casais “se rocem” (esbarrem) e de repente role algo (uma colheita feliz). E no labirinto, tem uma parte um pouco mais espaçosa, com colchonetes e é lá que rola “os finalmentes”, o vuco vuco.

Tem as cabines que são tipo “mini quartos” com portas, janelas de treliças ou com vidros escuros que é onde os casais praticam o swing (eita quartinho danado “que ferve”). Quem está dentro da cabine, decide se vai deixar quem está do lado de fora participar visualmente ou se vão ficar lambendo os dedos (castigo heim, =P ).

Sala de casais, preciso explicar? É lá que acontece a grande suruba (uiii), o grande show, a boa (e respeitosa) safadeza. Se você estiver “avulso”, dificilmente conseguirá participar desse “espetáculo carnal”.

E tem a sala coletiva que é tipo um “ringue de vale tudo”. O homem que entra nessa sala com sua “moçoila” sabe que a chance de ter que dividi-la com outros bofes é grande. Pessoas desacompanhadas também podem participar. É a suruba “free”, liberada para todos.

Na boate tem regras a serem cumpridas, nem todas as pessoas de lá estão disponíveis. Algumas vão só para assistir (voyeur). Se alguém te abordar e você recusar, imediatamente sua vontade é respeitada. Quem costuma comandar a abordagem é a mulher (somos poderosas, hein?).

Não pode fotografar, nem filmar, nem desrespeitar as pessoas. Se você entrou acompanhando, tem que sair de lá com o mesmo. Vocês podem conhecer outros casais, transar com outros, mas não pode abandonar o próprio par. Se alguém te forçar a algo, é colocado para fora da casa.

Tem o Soft Swing que é a troca de parceiros com beijos, carícias e sexo oral, mas não rola penetração e o Hard Swing onde é permitida a penetração.

Algo muitíssimo importante e que deve fazer parte SEMPRE, é o uso de preservativo, afinal, DST pode estar em qualquer pessoa, em qualquer lugar. Sexo seguro é o mais prazeroso, é fundamental.

Malu, querida... agora você sabe um pouco sobre o swing e não escrevi nada disto para tentar “fazer sua cabeça”, mudar sua opinião. Como eu mencionei acima, no Swing existe muito respeito e isto é algo que teu maridinho parece nunca ter tido por você.

Ele “pulou a cerca” durante todo o casamento, sempre fez tudo escondido, transformou a relação de vocês em uma mentira e agora ele resolve que quer ir numa casa de swing pra que?
Tá achando que é assim, oba oba, chega e come quem ele bem quiser e você fica lá só assistindo pra PROVAR QUE O AMA?

Que belo filho de uma puta que você escolheu pra chamar de marido, hein amiga?!

A vida que me livre de um traste deste, porque no mínimo eu esperava ele dormir e banhava o pau dele com ácido, só para ele sentir um tiquinho da minha fúria (Não faça isto hein, Malu? Eu sou louca, você não!)

Pelo o que você descreveu, ele não está preocupado em acrescentar algo “bom” no relacionamento, ele só está preocupado com o desejo dele.

Um casal swinger além de amor e respeito, tem cumplicidade. Não existe traição entre eles. E teu casamento, minha amiga, me parece que já começou falido e com a atitude que teu marido vem tendo, demonstra que o amor dele por você está morto faz tempo (se é que existiu amor da parte dele algum dia).

Em minha opinião, você não deve se submeter a isto. Para frequentar um lugar deste, mesmo que seja só para assistir, o casal tem que ser muito bem resolvido, tem que estar em sintonia (vocês não estão) e sinto que isso pode mexer muito com você, te deixar mal, insegura, mesmo que fosse para você participar, transando com outro homem, enfim...

Meu conselho é que você continue recusando, há não ser que sua opinião mude, que VOCÊ QUEIRA, aí sim. E ainda assim, se você topasse, os direitos tinham que ser iguais. Porque ele pode transar com outras e você não?
Babaca!

Não devemos fazer nada somente para agradar outra pessoa, mesmo que essa pessoa seja o nosso macho, NÃO VALE A PENA!

E teu marido já provou que é um grande covarde, pois fica com joguinho, fazendo chantagem, aí você aceita só para agradá-lo e já pensou qual poderia ser a próxima desculpinha dele para que VOCÊ tente salvar esse CAGAMENTO?

Só falta ele dizer que agora que já comeu “quentinhas desconhecidas”, está afim de traçar sua amiga gostosona ou sua prima mais nova, aff...

O lobo perde o pêlo, mas não perde o costume. Cafajeste uma vez, cafajeste sempre!

Ele não está disposto a mudanças, a fazer nada, para que o relacionamento de vocês melhore, não é? A condição dele para isto é sair comendo xoxotas alheias enquanto você fica igual santinha só assistindo, só autorizando. Ahãn...

Pimenta no cu dos outros é refresco, diz pra ele que você topa, desde que ele permita que um cara com uma jeba de 20cm de puro prazer coma o furico dele... vamos ver se ele vai achar excitante (talvez ache, vai saber).

Homem que tenta forçar sua mulher (ou vice e versa) a fazer algo só pelo o seu bel prazer, me dá nojo! Sou a favor de o casal fazer de tudo, desde que ambos queiram o mesmo, desde que concordem. O prazer tem que ser mútuo!

Não caia nessa, Malu. Você demonstra não estar preparada para esse “modo de vida”, disse que não quer, então o melhor que você tem a fazer caso ele continue insistindo nessa história, é surpreendê-lo o mandando andar e vá viver a sua vida.
Esse homem que você chama de marido está mais para ser chamado de verme.
Egoísta!

Com certeza você encontrará alguém que te ame e respeite pra valer, basta você querer!


*

Beijos e boa semana, minha gente!
Jana Pupo

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

Meu twitter
=)

Dia do Orgasmo.

By : Janaína Pupo

Olá meu povo querido.

Ontem (31/07) foi o dia mundial do orgasmo (uiii que delícia), então vou aproveitar para falar sobre o assunto e tentar ajudar outro leitor, ok?

Esse dia (tão gostoso) foi criado há quatro anos na Inglaterra por redes de sex shops e é comemorado no dia 31 de julho. O povo realmente inventa dia para tudo, né não?
O bom é que dá pra comemorar esse dia de todo jeito. Ainda que você esteja só, basta ter uma mãozinha bem treinada (habilidosa e safada) e fazer a festa, aproveitar e gozar muuuuito!

Para mim, dia do orgasmo são todos os dias, basta estar com tesão, né não? Coisa boa chegar sorrindo no trabalho, dar bom dia para as pessoas com aquela “cara de satisfação”, de tonto (a), de bobo (a) alegre, isso é bom demais, todos agradecem =)

Só que infelizmente, existem mulheres (e homens também) que estão “adormecidos” para o tesão. Lamentável isso. Que dó, que dó, que dó...

Olha o que o Gilberto tem a nos dizer:

“Namoro há quase um ano e amo minha namorada, só que quando vamos transar parece que não estamos em sintonia. No começo ela não se manifestava, fazia sexo calada, eu mal podia ouvir a respiração dela. Fazia de tudo para acendê-la, preliminares, carinhos, beijos no corpo, sexo oral e ela continuava imóvel. Conversamos a respeito e ela disse que nunca havia gozado. Eu fiquei surpreso, pois ela já teve outras experiências com outros homens, ela tem 34 anos, mas eu agi de forma natural e disse a ela que nós dois íamos resolver aquele probleminha, que era só ela relaxar e ter paciência que um dia ela ia sentir muito prazer, conhecer o orgasmo. Depois dessa conversa ela passou a ser outra na cama, mas de maneira forçada. Ela berra, grita igual as mulheres de filme pornô e do nada para e diz: pronto gozei. Quando estou para gozar ela começa a gritar, fazer barulhos e quando eu gozo ela diz que gozou junto. Só que Jana, eu sei que ela está fazendo isso pra tentar me agradar, está fingindo, pois o corpo dela não tem reações e eu fico triste porque queria que ela sentisse prazer de verdade. O que eu devo fazer? Conversar novamente com ela? A amo demais, mas pra mim, o sexo bom é fundamental na relação. Nós dois estamos frustrados, não dá pra ser assim. Me ajuda?”

Querido Gilberto, que situação hein, meu amigo?
É triste dizer isto, mas fato é que hoje em dia, reclamações deste tipo são “normais”(e de outros tipos também, mas falarei em outro post).

Muitas mulheres (muitas mesmo), não sabem o que é chegar ao clímax, explodir, subir pelas paredes, gozar. Algumas passam por isto, por ter um parceiro ogronildo, insensível, egoísta (aquele tipo de homem que está pouco se lixando em dar prazer). Mas a maioria das mulheres que não gozam, eu diria que o problema está basicamente nelas.

Algumas foram criadas assim (pais conservadores) dizendo que o sexo é sujo, feio, blá blá blá, outras foram criadas dentro de alguma religião e tem medo (pois pensa que já está pecando em trepar) e que ao gozar estará cometendo o maior pecado do mundo e que Lúcifer virá puxar os pezinhos delas à noite, outras ficam na neura, se cobrando o tempo todo “tenho que gozar, tenho que gozar, tenho que gozar”, vira quase um mantra e a cobrança é tanta (da parte dela mesma) que o tal do delicioso do orgasmo fica cada vez mais longe (tão, tão distante) porque ela não relaxa.
Eu já falei a respeito disto, depois clique aqui para conferir.

E sabia que tem homem que também finge que gozou? Pois é, mas esse também é assunto para outro post.

Gilberto, acho sim que você deve conversar com sua amada, afinal, relacionamento sexual também precisa de diálogo, alias, é importantíssimo.
Se você não tomar alguma atitude, daqui a pouco ela vai bancar o Marilyn Manson e te chamar de Frankie – Fuck Frankie

Fazer escândalo, do tipo berrar para que a cidade toda escute (ainda mais sendo berros fakes), pode é assustar o bofe, ao invés de dar prazer. E vem cá? Esse negócio de virar do nada e dizer: “pronto, gozei!” é um tanto bizarro. Só faltou ela perguntar: “está feliz agora?”.

Não dá pra você continuar nesse “sexo com prazer falso”, isso acaba abalando o casal, e cá pra nós, tem mulher que se acha esperta, crente de que finge e consegue enganar, mas se o cara que estiver transando com ela for “expert no assunto” (assim como você parece ser), ele nota que a moçoila está apenas tentando fazer um teatro e é uma peça falida (que mico).

Talvez, antes de tentar conversar de novo com ela, você deveria propor uma noite especial. Tipo, vão para um motel, prepare o ambiente (sei que isso pode ser difícil para alguns homens, mas você consegue, tenha fé, meu filho, pense na sua gata gozando pra valer, de verdade), compre um óleo cheiroso e faça uma deliciosa massagem no corpicho dela, acaricie cada ponto, veja como ela reage. Depois de usar muito as suas mãos assanhadas, caia de boca na “borboleta adormecida” dela. Faça um sexo oral com calma, caprichado, com desejo, com vontade. Meu querido, isto é quase infalível (é mais comum a mulher ter orgasmo clitoriano do que com penetração).

Se você perceber que ela está fingindo, PARA TUDO (isso mesmo, pare agora) e diz que vocês precisam conversar. Mas veja bem, só faça isto se você perceber que ela realmente está fingindo, senão você vai é causar trauma na mulher e pode até receber um esporro (bronca) daqueles.

Quando estamos para alcançar o clímax o corpo reage, a respiração fica ofegante, nos contorcemos feito “anacondas com coceira”, agarramos os lençóis, mordemos os lábios, tem mulher que faz até careta (que medo), enfim... note se ela não está tendo nenhuma dessas reações.
E se a conversa for necessária, o negócio é você abrir o jogo. Precisamos ser sinceros com a pessoa que amamos, que temos intimidade. Fingir que está tudo bem, sendo que não está, naõ é legal, é desgastante #umaciladabino

Penso como você, Gilberto. Eu faço questão que na relação o sexo seja bom, aliás, ÓTIMO. Tem que ser prazeroso, satisfatório, de tirar o fôlego. Tem que ter química, sintonia, muito desejo e tesão.

É errado fingir prazer, ninguém deve fazer isto. Você finge e fica chupando o dedo, com cara de cu do avesso, mau humorada, completamente frustrada (grande vantagem).

Eita, sabe no que estou pensando agora, aliás, vira e mexe penso nisto...
Quantas pessoas neste momento, estão tendo um orgasmo?
Nooossa, que coisa danada de boa sô!

Gozar faz bem para a saúde, minha gente. Faz bem para o corpo, para o coração, para o ego, para o humor, deixa a cútis mais bela, evita as rugas, pois sorrimos feito bobos e ficamos zen’s, relaxados, sem nem precisar de ioga.

E você, aproveitou o seu dia ontem? Já teve um orgasmo hoje? Não?
Então comenta logo aqui no blog e assim que tiver uma folguinha "relaxe gostoso", afinal, é segunda-feira, ao invés de se estressar, tem coisa melhor para fazer... que tal?

;)

Dia do orgasmo são todos os dias, então bora aproveitar e boa semana cheia de orgasmos para todos!

*

Beijos.
Jana Pupo.


Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:

jana.pupo@yahoo.com.br


Meu twitter
^^

- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot