Posts Populares

"Ele tem o pau feio".

By : Janaína Pupo

Olá, meus amores!
Hoje não ficarei de mimimi e vou direto ao assunto, ok?

“Meu nome é Kelly, tenho 23 anos e preciso da sua ajuda para me livrar de um trauma. Conheci um rapaz e me apaixonei. Na nossa primeira vez, fomos ao motel e eu estava muito empolgada para transar com ele. Entre beijos e abraços começamos a nos despir e quando eu tirei a sua cueca, entrei em choque. QUE PINTO FEIO! Era grande, grosso, um pouco torto e cabeçudo. A cabeça rosada dava muita diferença com o tom de sua pele. Não consegui disfarçar, não podia colocar a boca naquele pinto horroroso, senti muito nojo. Fingi um desmaio e fiquei imóvel por uns cinco minutos, com ele desesperado. Abri os olhos e disse que não estava me sentindo bem e ele me levou para casa. Isso aconteceu há cinco meses e consegui me livrar do cara, mas desde então, nunca mais tive coragem de sair com homem nenhum, acho que fiquei traumatizada. O que eu faço?”

Hahahahahahahaha (toma fôlego, Janaina...) hahahahahahahaha.
Kelly, desculpa, mas eu tive crise de riso com o teu e-mail. Vem cá, você gosta mesmo de pau?

Veja bem... um pau grande e grosso não é defeito. Tortinho, que mal tem?
Cabeçudo? Compra um chapéu mexicano pra enfeitá-lo. E se não tivesse cabeça?
Rosadinho? Óun, que “foufo”!
Esse pau aí que você descreveu não me parece feio. Você não sabe o que é um pau feio, minha amiga!

Para mim, uma “poronga” feia é aquela com excesso de pele, que cobre a “cabeça”, parecendo um pescoço de frango. Ou então pau com pereba (misericórdia), ninguém merece dar de cara com um cacete perebento. Agora o pior é quando o cara tem o pau lindo e sujo, com aquelas “ricotas” entranhadas. Isso sim dá nojo!

Eu não me considero fresca quando o assunto é pau, mas se for pelancudo, perebento ou sujo (ou os três juntos), não finjo e nem faço charme, falo na cara: “Honey, teu Gonzo não me agrada, sinto muito bebê.”

Você simulou um desmaio só porque a “piroca” do moçoilo era grande, grossa, torta e cabeçuda?
Se fosse como as “jebas” que citei você cairia morta de verdade, então.

Agora é hora da bronca: você ia colocar a boca num “salame” que viu pela primeira vez, sem encapá-lo (camisinha)?
Que feio! Isso sim poderia te trazer algum trauma (DST).

Como diria nosso eterno Chico Anysio, um boquete e um copo de água não se nega a ninguém, mas tem que se proteger mesmo se for fazer uma chupetinha básica, PRECISA usar camisinha, entendeu?

Engraçado... até hoje ouvi pouquíssimos homens dizendo que deixou de transar com a fulana ou cicrana porque a tal tinha a florceta feia, e olha que tem umas “xecas” por aí mais feias que bater na mãe com frigideira, com as “berimbelas” grandes, outras mal educadas que vivem com as línguas pra fora, tem umas que até parecem uns repolhos, tem as “mal perfumadas” e mesmo assim, o cara vai lá e encara. Móóó guerreiro!

Kelly, querida, será que você não exagerou? Você já tinha visto um pinto (piu piu) antes? Não acho que esse cacete aí seja bizarro a ponto de causar trauma. Ele falava?

O que você pretende fazer quando conhecer um bofe legal? Marcar pra ir num barzinho e antes de beberem algo, você pede para ele tirar o peru pra fora? Tá, a escolha é sua.

Você está há cinco meses sem relaxar, sem deixar nenhum “possante entrar na sua garagem” por causa do tal pinto?
Com tanto “pau bão” por aí e você perdendo tempo, tsc, tsc, tsc.

Para com isso, menina!
Bora aproveitar as coisas boas da vida, mas não se esqueça, sexo bom é sexo seguro, darling. Camisinha forever!
Beijos e boa semana, meu povo lindo.
Jana Pupo.

*

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

*

Você ainda não tem o meu livro "Sexo, a gente lê por aqui"?
Bora comprar, meu povo!
É só mandar um e-mail para jana.pupo@yahoo.com.br solicitando que explico tudinho.

O livro custa 20,00 + o frete + um beijo meu + uma dedicatória especial + todo meu carinho.
*

Meu twitter ^^


Meu facebook =)

Descobri que sou gay.

By : Janaína Pupo

Olá meus amores.

Passei dez dias em Cartagena das Índias – Colômbia e já estava morrendo de saudade de vocês. Ia contar aqui sobre a viagem, mas deixarei para a próxima semana, pois mais uma vez, tentarei ajudar um leitor desesperado e o assunto é um tanto delicado.

“Meu nome é Camargo, tenho dois filhos e fui casado com a mãe deles durante 32 anos. Hoje, estou com sessenta anos, há tempos meu casamento estava morno e descobri que sou gay. Sempre tive pensamentos proibidos com outros homens, mas achava que era normal. Minha esposa viajou de férias com meus dois filhos e eu conheci um homem na internet que me convidou para jantar e fui. Resumindo, acabei na cama dele, transamos a noite toda e nunca senti tanto prazer em toda a minha vida. Pensei e repensei, achei que deveria sufocar esse desejo, mas tomei coragem e pedi a separação. Minha esposa sempre foi muito companheira, sempre esteve ao meu lado, mas não é justo eu viver infeliz e fazê-la infeliz também. Ela entrou em choque, não quer ver minha cara e fica ameaçando contar aos nossos filhos. Não sei o que fazer em relação a eles, amo os dois e embora eles sejam adultos, não sei como irão reagir. Os encontro quase todos os dias, eles vem me visitar e respeitam o término do meu casamento, mas não sabem o real motivo. Fui muito covarde por largar a minha família e viver a minha vida, mesmo já tendo sessenta anos? Sou menos homem por descobrir que tenho atração por outros homens?”

Camargo, meu querido, de covarde você não tem nada, tá meu bem?
Diferente de muitos homens, você saiu para uma nova experiência, foi literalmente “jantado” e teve atitude de um PUTA MACHO por ter coragem de dar a cara a tapa, contar a verdade para a sua esposa e correr atrás do prejuízo.

Tem homem que trai a mulher a vida toda com outras mulheres, reclama do casamento e vive acomodado, na mesmice, naquela vidinha morna, sem carinho, sem trepar, sem nada para acrescentar, mas vive assim só pra manter a aparência de que é um bom marido, um bom pai, um bom exemplo.
Exemplo de que?

Se você é menos homem por ter tesão por outros homens?
Não mesmo! Não existe “o mais homem” só porque é hetero. Você é homem e ponto!

A meu ver, ninguém vira homossexual, já nasce assim. Alguns descobrem cedo, outros descobrem mais tarde. O importante é “sair do armário”, por mais difícil que seja encarar a todos por causa do preconceito (que infelizmente ainda existe) e ser feliz.
Inúmeros gays e lésbicas vivem “no armário” por causa da família, dos amigos, da sociedade e isso é triste.

Conheço pessoas assim, que se esconde e não sou daquelas que cospe pra cima, pois pode cair uma puta escarrada na minha testa, né? Por isso, sempre digo que, mesmo hoje eu não sentindo atração por mulheres, se um dia acontecesse de eu ter tesão em outra fêmea, não morreria “jamé” com essa vontade. Ia assumir e pronto, pois a vida passa rápido e temos que aproveitar (ok, eu sei que na prática não é tão fácil assim, mas viver reprimida é que não dá).
Não estou dizendo que a pessoa deve sair com um megafone anunciando que gosta de xoxota (se for lésbica) ou de cacete (se for gay). Mas a opção sexual não muda o caráter de ninguém (clichê, mas a pra verdade).

Uma vez, conversando com um amigo gay, ele me disse: “É foda.Quando conto para alguém que sou gay, tenho a sensação de que a pessoa fica me olhando como se eu fosse um cu gigante sendo devorado”.
E respondi: “Fulano, foda mesmo é comer cu de ouriço. Então por eu gostar de cacete você me enxerga como uma buceta gigante devoradora?”

Ele riu e depois de muita conversa, se rendeu, percebeu que estava sendo preconceituoso com sua própria pessoinha.

Ser diferente não é fácil, falo por experiência própria. Não sou lésbica, nem bi, mas por causa da minha aparência, das minhas tatuagens, do meu cabelo rosa, tem quem me aponte como se eu fosse a Christiane F. (drogada e prostituida).
Se a pessoa me perturbar muito, sou bem educada e digo: “Te presenteio com uma porção dupla de vai tomar no cu”. Se ela ficar magoada, sinto muito, era a minha intenção.

Cada um podia cuidar da sua própria vida, né? Seria ótimo.

Quanto aos seus filhos, em minha opinião, acho que você deve contar a verdade a eles. Você não deixará de ser um bom pai porque é homossexual. Claro que a situação é delicada, mas como você disse, eles são adultos e se você se expressar com carinho, com transparência, eles vão acabar entendendo e continuar te respeitando.
Muito pior seria se você continuasse casado com a mãe deles e mais tarde descobrissem que você a faz de boba, traição fode tudo. Mas não, você foi correto, abriu mão de um casamento de anos para não se machucar e não machucá-la ainda mais futuramente.

Outra coisa... crie gato, cachorro, rato, barata, iguana ou até lagartixa, mas não crie expectativas de que seus filhos vão aceitar 100% assim, de princípio. Pode ser que eles se revoltem (ou não), mas o tempo faz tudo amenizar e eles terão que respeitar sua decisão, afinal, não é crime ser homossexual, nem feio, nem sujo, nem errado.

Heterossexual, homossexual, bissexual, são todos seres humanos, porra! Detesto preconceito.

Camargo, tiro o meu chapéu pra você, achei sua atitude “digníssima”.
Estar vivo não é a mesma coisa que viver, e você, meu querido, está vivendo!


Beijos e boa semana, meu povo lindo.
Jana Pupo.

*

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

*

Você ainda não tem o meu livro "Sexo, a gente lê por aqui"?
Bora comprar, meu povo!
É só mandar um e-mail para jana.pupo@yahoo.com.br solicitando que explico tudinho.

O livro custa 20,00 + o frete + um beijo meu + uma dedicatória especial + todo meu carinho.
*

Meu twitter ^^

Meu facebook =)

- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot