Posts Populares

Postado Por: Janaína Pupo 23 de set de 2013



Olá, meus amores.

Hoje venho com novidade. Seguinte, muita gente me envia e-mail querendo saber da minha vida e, claro que, pego meu banquinho e saio de mansinho. E então, conversando com um amigo, ele sugeriu que eu contasse algumas das histórias engraçadas (algumas bizarras) que já me aconteceram. Pois bem, para a alegria de vocês (ou tristeza, é tristeza, pois não sou ninguém importante nem famosa), titia Jana fará isso.

Vez ou outra, postarei aqui no blog algum mico que (infelizmente) vivi. Sabe como é né,  a gente acha que aprendeu, aí vai lá e faz tudo de novo, mas chega uma hora que aprende (ou não).
Tem partes da minha vida, que eu preferia não ter participado, mas né, fazer o que? O legal é que tenho histórias pra contar, de tudo quanto é tipo.  Começarei com algo "light", ok? Bora lá, então...

1º Relato.

Lá fui eu para mais um show do Roberto Seixas (cover do Raul). Estava curtindo na maior vibe boa, cantando, me sentindo a Rauzete e eis que começa a tocar "Sapato 36". Pirei o cabeção, fui pro meio da pista, ergui os braços, fechei os olhos, só faltei reencarnar o Raul e de repente, sinto minhas mãos sendo tocadas (que estavam para o alto, tipo dando glória) e acho que tinha cogumelo naquele refrigerante, porque minha viagem era tanta, que continuei com os olhos fechados, com os braços para o alto, de mãos dadas com sei lá quem e cantando, quase que berrando "Por que cargas d'águas você acha que tem o direito, de afogar tudo aquilo que eu sinto em meu peito. Você só vai ter o respeito que quer, na realidade. No dia em que você souber respeitar a minha vontade".

Tá, cantei, berrei, fiquei quase com os braços travados e quando acabou a música e abri os olhos, achei que estava perdida no paraíso. Eita homem bonito!

Gente, eu estava solteira, o cara passou a música toda colado nas minhas mãos, trocando juras de suores (que nojinho), a música acabou, começou outra e o danado continuou alí, juntinho, agora me encarando com olhar de "quero lhe usar", poxa, como resistir? Só sei que nos beijamos ao som de "A Beira do Pantanal" e eu quase ovulei, porque acho a letra simplesmente linda. Só que, o bonitinho quis sair dali e ir para o "cantinho" e eu recusei. Ele começou a encher o saco e já não parecia mais tão bonito, sabe? Já estava bonitinho, o nariz estava gordo, a voz fina, é, eu estava inventando defeitos. Para não mandar o cara cagar com o cu pra cima e bancar a deselegante, não fui para o tal cantinho que ele queria, pois de tonta eu não tenho nada e bem sabia que lá era a toca da chapéuzinho vermelho e no caso, eu estava com o lobo mal, de mãos dadas. Não ia dar pra lobo nenhum, não pra um maluco beleza que eu nem tinha conseguido tirar o nome ainda.

Aí tá, recuamos da pista, para um lugar menos tumultuado e o bonitinho veio pra cima de minha pessoa carnuda como se tivesse vendo uma vaca atolada. Me beijava, mordia o pescoço, puxava os meus cabelos, falava palavras sacanas no meu ouvido, as mãos pareciam nunca terem tocado um corpo, tipo mãos da Etiópia, famintas. Sério, fiquei agoniada, sufocada, me sentindo presa e de repente, tive a impressão de que tinham mãos a mais ali naquele bolo, mas os puxões de cabelo estavam grosseiros e ele acrescentou tapas? Logo pensei: FODEU, QUE FETICHE É ESSE?

Não era porcaria de fetiche nenhum. Era a coitada da corna, a namorada do bonitinho.
Sim, ele tinha namorada.
Não, eu não imaginava.

E aí era braço pra cá, mão pra lá, tapa, chute, ela que xingava, ele que berrava, ela querendo me agredir, ele me defendendo, ela me chamando de vaca, puta, vadia, piranha, eu com cara de pepino de peruca rosa, um mero enfeite, ele dizendo que ele que me quis, que ela que era um lixo, aí já sabe né, tomei as dores dela (fiquei quieta, mas com raiva dele).

Meeeeooo, eles começaram a ter uma DR alí, no meio de todos e eu literalmente parecia um ornamento, um pepino de peruca, até que comecei a ouvir  "ela, ela, ela, ela, ela, ela, ela". A tal "ela" era eu e então, o pepino tomou vida, tipo milagre de Saramandaia, sabe? E eu não pensei em elegância, em classe, em porra nenhuma, apenas berrei:  PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!

Os dois arregalaram os olhos, a namorada respirou, acho que encheu os pulmões de ira e partiu pra cima de mim. Juro, eu derrubaria aquela mocinha com uma "tetada" (é, esse linguajar é horroroso), mas o bonitinho entrou na frente. Então, enquanto ele segurava a criatura, falei:
- Flor, homem que janta bem em casa, não faz "lanchinho" na rua!
Ela gargalhou e respondeu:
-Um lanche gordo desse, faz mal pra qualquer homem.
Ele:
-Cala boca! Ela é gostosa!

E aí, vendo aquela cena mesquinha, um casal se agredindo verbalmente, um diminuindo o outro, colocando abaixo do cu do cachorro, rodei a baiana:

- Ei, bonitinho, faz um favor? Cala boca e vira homem. Mulher não gosta de quem só fala e fazer que é bom, nada. Tenha atitude!
- E você, namoradinha do bonitinho, seu recalque bate no meu dedo do meio e volta para trás.

Claro que virei as costas, apertei os passos e fui-me embora, né? Gente, que situação mais desagradável, cruz credo. Eu alí, de Rauzete passei a pepino, depois para poderosa e saí correndo para o estacionamento igual o Papa-Léguas com medo de apanhar hahahaha.

Mas né, fazer o que? Se soubesse que ia tomar tanto no cu, tinha lançado a frase: No cu dos outros é refresco, no meu são quinhentos reais!

Chega por hoje de falar de mim =)

Beijos e boa semana, meus amores!
Jana Pupo.

P.S: Se você me enviou e-mail e ainda não respondi, peço desculpa e que tenha um pouco mais de paciência, que assim que der, respondo, ok?

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

{ 8 comentários... read them below or Comentario }

  1. Jana rsrs adorei. Não que eu não goste das suas dicas e das histórias que aqui aparecem, mas é gostoso saber um pouco mais sobre a pessoa que lemos.
    No meu blog tá cheio de presepadas, cheio! Eu sou a rainha das presepadas hahahaha
    Essa sua, foi enorme. Fez muito bem de rodar a baiana, eu teria rodado bem antes.

    Respondendo o seu comentário lá no blog: Se você ficou confusa, imagina eu rsrs

    Bêjo!!!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkk Jana, adoro a forma como você fala, e adorei saber desse relato, nossa que furada, mas você saiu por cima, poderosa rs.
    Bjos
    Sra. Q

    ResponderExcluir
  3. Jana!!To rindo litros kkkkkk,fiquei com vontade de bater na namorada dele também!!Imagina a cena?kkkk
    Já estava com saudades!!Casa nova,adorei amiga!!bjss

    ResponderExcluir
  4. Aff... Todos temos nossas histórias de terror né verdade. HAUHAUHAUHAUH Na boa, eu acho que já tive umas três (1 tá sendo bem atual) HAUHUAHUAHUAHUAHUAHUHA

    Beijos do Conde

    ResponderExcluir
  5. Realmente vc não teve culpa, Janaína!

    ResponderExcluir
  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk hilário!

    ResponderExcluir
  7. hahahah amei conta mais da sua vida!

    ResponderExcluir
  8. Juro que não entendo mulher que fica puta com a outra mulher em situação assim.Pensa comigo quem tem compromisso com quem? Nem toda cara tem estampado na testa que é comprometido. E mesmo que tivesse, ele é o canalha. Ponto.

    ResponderExcluir

- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot