Posts Populares

Postado Por: Janaína Pupo 24 de ago de 2015



Recebi esse e-mail de uma leitora e quis dividir com vocês, porque com certeza tem muitas Ana's, Josefa's, Maria's, José's, Dirceu's, Joana's eteceteraetal, felizes como são. E você, é feliz com seu corpo?

"Minha casa é o lugar mais feliz do mundo. Somos uma família de gordos. Não tem nenhum gordo mórbido, nem doente. O mais gordo é meu avô, que pesa 115 quilos, não tem diabetes, nem pressão alta, nem nada de ruim. Só peso.
Eu cresci ouvindo da minha mãe, pai, irmãos e avós, que sou linda, e que somos lindos por tantos motivos, não só pelo corpo e que todo corpo é belo.

Na escola eu não sofri bulling, mesmo sendo uma criança gorda, talvez por ter sido educada com tanta segurança, por me sentir segura com meu corpo gordo, por chegar sorrindo e humildemente "me achando". Na faculdade foi quando fui menos gorda. Pesei setenta e nove quilos e sabe, eu me sentia menos bonita e isso deve ter refletido, porque algumas colegas me questionavam porque eu não fazia uma dieta pra perder peso, já que meu rosto era tão lindo. Não, ta errado isso aí, dieta me faria triste. Eu estava sentindo falta dos sete quilos que perdi, eu queria acha-los. Mas não deu, a faculdade me sugava, eu só conseguia engordar minhas notas, pois meu ego estava zero, no chão. Mas ninguém acreditava quando eu dizia que estava insatisfeita emagrecendo. Achavam que era charme meu, mas juro, não era!

O ruim de crescer é que a vida vem e mostra que lá fora a família não pode te proteger. Você cresce, tem que caminhar com as próprias pernas, chorar sozinha no travesseiro e engolir alguns "porque's", alguns inúmeros porque's. E nem sempre tem resposta. Eu não entendia porque era tão difícil acreditar que uma mulher pode amar seu corpo gordo, por que um gordo não pode se amar?

Me formei e que alívio, e logo voltei ao peso que me sinto linda, 85 quilos. Conheci meu marido, eu estava com 90 quilos. Casamos. Tudo indo muito bem. Saúde ok, eu linda, preenchida, boa de se ver. Depois de cinco anos de casados, engravidei. Felicidade plena!

Hoje tenho minha família. E segue a tradição, feliz. E eu continuo gorda e feliz, mas passei minha infância, adolescência, agora a minha juventude, cobrada pelos outros, quando eu ia ser um rosto lindo num corpo magro e tendo que provar que eu sou feliz com cada grama que carrego.

Cara sociedade, isso é o que menos importa, o tamanho do meu corpo. Importante é o tamanho da minha saúde, e do meu preconceito.
Minha balança está errada?
E o que acrescentou na sua vida, ficar cotando meu peso como se fosse a bolsa de valores? Não te deixa mais rico, não preenche sua geladeira e muito menos te enobrece, de nenhuma forma.

Não é fácil ser você em meio a uma sociedade que vive com o dedo apontado. Mas todo  dia vale a pena, porque eu vou pra cama respeitando a pessoa mais importante; eu mesma. Não importa o que pensam de mim, o que querem que eu seja. Até por me amar, é como se eu tivesse que pagar um preço. Eu pago, enfrentando com amor quem me aparece com veneno. Te garanto, é uma ótima arma.

A vida é tão gostosa pra se tornar obsessivo pelo peso alheio. Vai contar sorrisos, diamantes, borboletas, pingo de chuva. Ou engorde, e vai palpitar no teu corpo gordo, mas deixa o meu.

Você topa? Aceita que dói menos."

Pois é, uma pessoa feliz, costuma incomodar muita gente. Uma pessoa gorda e feliz, incomoda muito mais.

Beijos
Jana Pupo.

Dicas, dúvidas, críticas e sugestões escreva para:
jana.pupo@yahoo.com.br

{ 5 comentários... read them below or Comentario }

  1. Oi Janaina vc é linda adoro seu jeito e seu cabelo rosa, linda demais...

    ResponderExcluir
  2. Entrei aqui para matar as saudades e sou de cara com esse post INCRÍVEL que ainda não tinha lido. Muito maravilhoso!

    ResponderExcluir

- Copyright © 2013 Janaina Pupo - Traduzido Por: Template Para Blogspot